Longe era o tempo em que o #Futebol vivia na inocência do amor à camisa, dos dribles fantásticos e dos gols maravilhosos. O contexto atual é caro demais para a maioria dos torcedores, incentivados a ver payperwiews e povoar o sofá de casa. O ingresso caro é uma das principais reivindicações das torcidas corintianas Gaviões da Fiel, Camisa 12, Pavilhão 9, Estopim da Fiel, Fiel Macabra e Coringão Chopp.

As organizadas protestaram na noite da última sexta-feira em frente à sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) no bairro da Barra Funda em São Paulo. Fim dos jogos às 22h, dos abusos da Rede Globo, por ingressos mais baratos, fim da corrupção na FPF e na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) são as críticas ao sistema atual. 

Outras torcidas brasileiras tem enfrentado censura semelhante imposta pelos árbitros ou por determinação das federações.

Publicidade
Publicidade

O Náutico sofreu com isso em 2012, ao levantar a faixa "Não irão nos derrubar no apito". Os gremistas foram impedidos de colocar faixas com a inscrição "Ronaldinho Judas" em duelo contra o Flamengo, válido pelo Campeonato Brasileiro no estádio Olímpico, em 2011.

Na arena rival, o Palmeiras se "autocensurou" quando teve que cobrir o nome da Allianz Arena, durante partida contra o Atlético Mineiro, em maio, válida pelo Campeonato Brasileiro. A justificativa do clube foi uma ameaça de perda de pontos. A própria torcida do 'Timão' foi censurada quando exibiu faixas condenando o árbitro paraguaio Carlos Amarilla, durante jogo contra o Figueirense, na Arena #Corinthians em junho do ano passado. O árbitro daquele confronto, Igor Benevenutto, paralisou a partida até que o protesto fosse retirado.

Publicidade

Impedir a bola de rolar, aliás, tem sido comum. Atitude que força que inevitavelmente força a censura. Em outras palavras, do torcedor só se espera que pague caro pelos ingressos, consuma produtos oficiais do clube, mas que não fale. Manifestar-se de forma pacífica, não pode. A atitude dos torcedores do Corinthians tem motivado outras organizadas e o torcedor comum elas redes sociais.

Torcedores de São Paulo, Palmeiras, Flamengo, entre outros, demonstraram apoio à iniciativa dos alvinegros paulistanos. A Gaviões da Fiel entrou em confronto recentemente com a Polícia Militar, que tentou retirar faixas como a que fazia alusão ao Deputado Estadual Fernando Capez e o escândalo da "Máfia das Merendas". Capez é famoso por estar à frente do combate às torcidas organizadas durante a década de 1990. A Gaviões da Fiel encontra-se impedida de exibir faixas na arquibancada desde a final da Copa São Paulo deste ano.

Mas será que as reivindicações são só desejo dos organizados? Qual torcedor não gostaria de pagar mais barato pelo ingresso ou ir a um jogo que não termine às portas da meia noite? #Corrupção no futebol