Alguns dos maiores clubes do Brasil, nos últimos anos, reformaram ou construíram seus estádios e os deixaram preparados para espetáculos de alto nível, esperando atrair novos patrocinadores, maiores receitas e, consequentemente, contratar melhores jogadores para atrair mais público e novos torcedores. Algo está dando errado no plano. Os patrocinadores, aqueles que ainda não desistiram, continuam fazendo ações pontuais (quando fazem) e os clubes vendem apenas espaços em camisas e estádios, não oferecendo novos "negócios e oportunidades" e deixando o espetáculo nas mãos (pés?) de seus jogadores. A TV Globo, que transmite os maiores campeonatos do país, insiste em não dizer os nomes dos patrocinadores de estádios e "corta" a imagem de patrocinadores em backdrops, camisas e bonés quando possível; prejudicando o surgimento de novos interessados.

Publicidade
Publicidade

Os nossos atletas ainda tiram a camisa para comemorar um gol; no intervalo e no final do jogo quando são entrevistados, mostrando um total despreparo em relação à imagem que devem passar aos torcedores (público consumidor).

Como funciona nos USA

O vídeo mostra que, toda vez que o Bulls faz 100 pontos jogando em casa, os aproximadamente 21.000 torcedores presentes no United Center Arena ganham um Bic Mac. Só isso, já parece inacreditável no Brasil. Mas o locutor da TV americana fala da promoção, do McDonalds, do BigMac e o nome do patrocinador do Ginásio. A reação do garotinho nos leva a crer que a promoção traz benefícios a todos: ao clube, ao torcedor e, principalmente, ao patrocinador. A TV divulga as marcas e produtos envolvidos porque sabe que o ginásio sempre cheio melhora a qualidade de suas transmissões.

Publicidade

Com a Copa do Mundo FIFA de #Futebol e os Jogos Olímpicos realizados no Brasil, muitos novos profissionais foram e estão sendo formados e estão dispostos a mudar este cenário e a realidade. Está na hora de todos os envolvidos (clubes, patrocinadores, TVs, agências de publicidade, jornais, rádios, etc,) reverem seus conceitos. Quando conseguirmos que todos os envolvidos entendam que não basta apenas um fazer sua parte, teremos resultados melhores. Mais público, mais consumidores, mais patrocinadores, mais retorno, melhores espetáculos, melhores transmissões, mais oportunidades, tudo isto depende de melhores ações de marketing e uma mudança de comportamento.

Os torcedores brasileiros merecem coisa melhor que jogos ruins, horários ruins, simples patrocinadores de camisa e tapetes no meio de campo! Está na hora de mudar tudo! #Resenha Esportiva #Blasting News Brasil