Com duas alterações importantes: as saídas de #Neymar, suspenso por ter recebido o segundo cartão amarelo, e de David Luiz, punido com um jogo de suspensão, a partida de hoje da seleção brasileira no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, ganhou contornos dramáticos. Com oito pontos ganhos, o Brasil está ao lado de Paraguai e Argentina, e ocupa o terceiro lugar na classificação geral, considerando-se os critérios de desempate. Em caso de derrota, a combinação de resultados da sexta rodada das eliminatórias pode deixar o Brasil em situação difícil na tabela. Brasil x Paraguai tem transmissão pela Rede Globo e canal Sportv, hoje (29), às 21h45.

Publicidade
Publicidade

A provável entrada do ex-corintiano Gil na zaga pode dar mais estabilidade à defesa, setor que falhou em demasia no empate de 2x2 contra o Uruguai. Já o craque Neymar, um dos três melhores jogadores do mundo, deverá ser substituído pelo veterano santista Ricardo Oliveira, artilheiro da última temporada do Brasileirão. No ataque, a seleção deve perder em movimentação e criatividade, e ganhar um jogador mais presente na área adversária.

Até hoje, o Brasil se classificou para todas as edições das Copas do Mundo, mas o nivelamento do #Futebol atual e a instabilidade da seleção deixam a torcida apreensiva. Alvo de vaias na última partida, na Arena Pernambuco, Dunga também precisa de bons resultados para continuar no comando.

O técnico sente a pressão e justifica a instabilidade do time: “Se nas outras eliminatórias, que não considerávamos tão difíceis, o Brasil sempre se classificou na última rodada, essa será ainda mais complicada.

Publicidade

Temos que jogar para vencer”, avaliou.

Dunga deve mandar a campo a seguinte equipe: Alisson, Daniel Alves, Miranda, Gil, Filipe Luís, Luiz Gustavo, Fernandinho, Renato Augusto, Willian, Douglas Costa e Ricardo Oliveira.

Já o técnico Ramón Diaz escalou uma seleção paraguaia ofensiva e vai pro jogo com: Justo Villar, Aguilar, Gustavo Gómez, Paulo Da Silva, Samudio, Iturbe, Ortigoza, Richard Ortiz, Óscar Romero, Lezcano e Roque Santa Cruz. 

A história do confronto entre as duas seleções mostra ampla vantagem brasileira. São 46 vitórias, 20 empates e 11 derrotas, desde a primeira partida, disputada em 1921.

O trio de arbitragem será colombiano. O juiz principal será Wilmar Alexander Roldán Pérez, auxiliado por Alexander Guzmán Bonilla e Cristian De la Cruz Achicanoy . #Seleção Brasileira