Bruno de Carvalho corre o risco de ter graves problemas judiciais depois do Sindicato dos Jornalistas portugueses demonstrarem uma total indignação com o que está acontecendo em Portugal contra os profissionais de mídia. Tal como informa o site “Mais futebol”, em um comunicado histórico e único em Portugal, o Sindicato considera que as manifestações públicas contra os jornalistas portugueses por parte do Presidente do Sporting são uma total intimidação e que por isso tem que existir um plano judicial para agirem judicialmente contra Bruno de Carvalho, de forma a que essas acusações sejam expostas e parem de uma vez por todas.

Em uma altura em que o Sporting está perdendo muito da sua força em termos esportivos, o seu principal líder, que pode ver seu mandato terminar mais cedo por causa dos problemas judiciais, está perdendo também completamente o controle sobre as suas palavras, principalmente contra os profissionais portugueses de mídia que sentem que o seu bom nome está sendo posto em xeque.

Publicidade
Publicidade

Tal como informa o site “Mais futebol”, foi a partir de um comunicado oficial e histórico em Portugal que o Sindicato se sentiu na necessidade de defender seus profissionais, que estão sendo vitimas de “intimidação” e aconselha a todos os prejudicados a “agirem judicialmente contra Bruno de Carvalho”. “O Presidente Bruno de Carvalho tem publicado nos últimos dias, em sua página do Facebook, infelizes e falsas acusações contra alguns jornalistas”, pode-se ler no início do extenso comunicado que deve abalar a direção do Sporting, que está sendo cada vez mais criticada também pelos sportinguistas.

Como esse plano judicial dos jornalistas portugueses contra o Presidente do Sporting é histórico, não se sabe ao certo quais podem ser as verdadeiras consequências para as atitudes descontroladas de Bruno de Carvalho, sendo que o fim do seu mandato, por iniciativa própria ou dos sócios do clube estaria sempre em discussão.

Publicidade

Em causa estão as acusações graves que o líder do Sporting faz à imprensa portuguesa, acusando de ser parcial e de querer deliberadamente prejudicar a instituição que representa, algo que coloca o bom nome dos profissionais em risco. #Comunicação #Justiça #Europa