O GRE-NAL 409 que apesar de ter iniciado oficialmente as 18h deste último domingo, acredite, ainda não terminou e possivelmente ainda renderá muitos capítulos e pantomimas. O enredo principal envolve um lance ocasional de choque entre o todo queridinho e esperança de um título após 15 anos da torcida gremista – o equatoriano Miller Bolaños e o lateral direito colorado William.

O pivô da polêmica

Aconteceu mais ou menos no início da primeira etapa quando o equatoriano foi lançado na extrema esquerda e apostou corrida com o lateral do #Sport Club Internacional. Vindo pela diagonal, William acabou chegando à frente de Bolaños por questões de décimos de segundos, o suficiente para tocar na bola e, o que resultou a seguir foi uma típica demonstração da combinação  de duas leis de Isaac Newton, a Inércia com a Lei fundamental da dinâmica.

Publicidade
Publicidade

E outra. Newton também comprovou a impossibilidade de dois corpos não poderem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo.

Com o choque logo ficou registrada a primeira Lei de Newton que determina que um corpo em movimento tende a seguir se nada o obstrui ou se interpõe a tal feito. Como ambos os jogadores corriam mais ou menos à mesma direção só que em ângulos relativamente diferentes do choque, pode-se considerar o choque entre as massas, aqui representadas pelos portes físicos dos mesmos, se aplica a segunda Lei que infelizmente o jogador do #Grêmio foi atingido, levando a pior.

Observando atentamente, e por diversos ângulos, a conclusão mais plausível e isenta de qualquer paixão clubística é que o jogador do Grêmio realmente deu azar no lance. Ele foi circunstancialmente atingido devido a forma em que ambos entraram na jogada.

Publicidade

Ele com o corpo mais reclinado bem na altura das axilas de seu adversário teve, sim, 50% de culpa nesta suposta lesão sustentada pelo Grêmio.

O lance foi considerado como contato normal de jogo pelo árbitro da partida Anderson Daronco que nem falta no lance ele marcou. Porém o que chama a atenção é que, mesmo depois deste discutido e discutível lance que segundo o médico gremista estraçalhou sua mandíbula, Bolaños ainda seguiu jogando normalmente e até foi eleito pela crônica esportiva gaúcha, que ainda não sabia do fato, como o destaque e melhor do GRE-NAL nos primeiros 45 minutos.

No mínimo engraçado para quem estaria com uma lesão tão grave e que vai ter que se alimentar somente de líquido nos próximos dois meses e 40 dias de repouso. O presidente do Internacional, Vitorio Piffero, está achando que o Grêmio está fazendo terrorismo e tentando justificar o injustificável.

"Queixa de crime!"

A direção do Grêmio, que investiu milhões na contratação deste jogador da seleção equatoriana sustenta a tese, que através de seu presidente, está pensando em fazer uma representação criminal contra William por agressão dolosa.

Publicidade

Pelo menos foi esta intenção manifestada pelo vice-presidente de #Futebol tricolor César Pacheco em declaração à Rádio Gaúcha de Porto Alegre após o jogo.

Pacheco culpa o árbitro que inclusive no lance marcou falta de Boloños em William. O presidente Piffero, que também participou ao vivo neste domingo após a partida neste mesma coletiva de imprensa, lembrou ao dirigente gremista que a reclamação é infundada porque nem atendimento médico Bolaños solicitou após o lance e inclusive cabeceou várias bolas neste meio tempo que esteve em campo.