Se existe alguma chance do Benfica surpreender o pentacampeão Bayern de Munique nas quartas de final da Champions League, com certeza ela passa pelos pés do brasileiro Jonas. Vivendo uma das melhores fases de sua carreira, o atacante de 31 anos lidera a disputa da Chuteira de Ouro, com 56 pontos e 28 gols marcados, superando nomes consagrados do #Futebol mundial como Lewandowsky, Cristiano Ronaldo, Higuaín, Ibrahimovic e Suárez.

Desde quando saiu do futebol brasileiro em 2011, onde nunca foi unanimidade, Jonas tem aprimorado seu posicionamento em campo, passando a atuar atrás do centroavante, como um segundo atacante com liberdade para sair da área e buscar o jogo.

Publicidade
Publicidade

Atuando nesta função no Valencia, o jogador apresentou seu cartão de boas vindas ao futebol europeu, mas foi no Benfica que Jonas ganhou notoriedade, tornando-se um dos principais destaques da liga portuguesa.

De pior atacante do mundo a ídolo em Portugal

No Brasil, Jonas não teve uma regularidade assídua. Depois de idas e vindas no Grêmio, tornou-se artilheiro isolado do Campeonato Brasileiro de 2010, com 23 gols marcados. Entretanto, um ano antes, foi considerado pelo jornal espanhol Mundo Deportivo como o pior atacante do mundo, por um lance inusitado em uma partida da Copa Libertadores contra o Boyacá Chicó, da Colômbia, quando perdeu um gol depois de três tentativas, sem o goleiro adversário pela frente.

No Santos, Jonas não deixou saudades, porém na Portuguesa e no Guarani, clube que o revelou em 2005, viveu alguns bons momentos.

Publicidade

Mas aquele atacante oportunista do tricolor gaúcho revigorou-se a partir de sua chegada a Europa, aumentando seu repertório de arremates, onde inclusive aprendeu a jogar fora da área de maneira eficiente e letal. Hoje como ídolo dos encarnados, Jonas atua atrás do centroavante Mitroglu, auxiliando Gaitán na armação das jogadas e chegando para concluir.

Sem vez com a amarelinha

Inexplicavelmente esquecido por Dunga nas convocações da Seleção Brasileira para as Eliminatórias, Jonas sequer possui um concorrente a sua altura, se considerarmos que Ricardo Oliveira, apesar da eficiência, já é um jogador veterano e que na próxima Copa do Mundo estará com 37 anos. Hulk, outro nome preferido do técnico brasileiro, jamais fez por merecer estar tanto tempo no grupo.

Ao que tudo indica, dificilmente as portas da seleção se abrirão para Jonas independente do que ele faça com a camisa do Benfica. Lamentável para ele e para tantas outras seleções que gostariam de ter à disposição um atacante com suas características e com o seu faro de gol. #Futebol Internacional