Há duas temporadas sem conseguir repetir o protagonismo de anos anteriores no Manchester United, Wayne Rooney corre contra o tempo para estar em condições de disputar a Eurocopa na França, possivelmente sua última participação na competição continental pela seleção da Inglaterra. Afastado dos gramados desde meados de fevereiro por uma lesão no joelho, o maior artilheiro da história do English Team, com 51 gols anotados, segue prestigiado com o treinador Roy Hodgson, que confirmou aguardar pelo atacante até o último minuto antes da convocação final para a disputa da Euro 2016.

Entretanto, o prestígio de Rooney junto a opinião pública está visivelmente abalado, sobretudo pela boa fase da seleção inglesa, e principalmente pelo momento mágico dos seus atacantes Harry Kane (Tottenham) e Jamie Vardy (Leicester).

Publicidade
Publicidade

Os dois maiores marcadores da atual temporada na Premier League seguem voando por seus respectivos clubes e prometem jogo duro com o camisa 10 dos Red Devils por uma vaga no ataque britânico.

Uma das favoritas na Euro 2016, a Inglaterra está no grupo B, ao lado de Rússia, País de Gales e Eslováquia. A 15ª edição da competição que será realizada pela terceira vez na França, ocorre de 10 de junho a 10 de julho com a participação de 24 seleções.

Ídolo questionado

A situação desconfortável de Rooney é incerta e tem gerado duras críticas a ele até mesmo em Old Trafford. Em sua 12ª temporada defendendo o clube, o jogador pelo segundo ano consecutivo não tem conseguido ajudar em campo sua equipe, que mais uma vez está fora da briga pelo título da Premier League, taça que não conquista desde a temporada 2012-2013.

Publicidade

Pelo Manchester, Rooney detém cinco títulos da Liga Inglesa, quatro da Supercopa da Inglaterra, três da Copa da Liga, além de uma conquista de Champions League e de um Mundial Interclubes.

Mesmo sem ser um jogador refinado tecnicamente, Rooney sempre encarnou a camisa dos Red Devils como poucos, demonstrando uma garra acima do normal. Se deixava a desejar no quesito futebol arte, ele compensava taticamente, se doando ao máximo pela equipe e contagiando seus companheiros com uma vibração carnal. Atacante de ótima finalização, o camisa 10 ficou marcado por seu temperamento explosivo e por chamar a responsabilidade em jogos decisivos.

Segundo maior artilheiro do Manchester com 244 gols, faltando apenas 5 para alcançar o lendário Bobby Charlton, parece que Rooney perdeu um pouco daquele apetite pelo qual era reverenciado em Old Trafford. Contudo, o fato que mais intriga o torcedor do clube diz respeito a sua última renovação de contrato, quando o jogador aproveitou-se de uma temporada ruim sob o comando de David Moyes em 2014 para estender seu vínculo com a equipe por 5 anos, passando a receber 300 mil libras por semana.

Publicidade

Apesar do rendimento baixo, tanto a seleção inglesa quanto o Manchester United, parece que de algum modo ainda dependem da liderança e dos gols de Rooney para sobreviver. Com as remotas possibilidades de título nesta temporada pelo clube, resta ao jogador se apegar a chance de se redimir na Euro 2016 e sonhar com a conquista inédita para a Inglaterra. #Euro2016 #Futebol Internacional #Eurocopa 2016