Se você é fã de MotoCross ou é do tipo que gosta de corridas de bicicleta com velocidade, adrenalina e percursos com obstáculos, sem dúvida vai curtir o Ciclismo BMX.

O esporte que, neste ano, estará apenas na sua terceira Olimpíada, é um dos responsáveis pelos tombos mais espetaculares dos jogos.

O Bicycle MotoCross ou o Bicicross, como também é conhecido, é o caçula do ciclismo e foi inventado no final da década de 50, na Holanda. Já, nos anos 60, foi aperfeiçoado pelos norte americanos, que se inspiravam no MotoCross para fazerem as suas manobras.

A vontade de imitar os ídolos da moto, aliada à falta de equipamentos adequados para a prática do esporte, levou os jovens a utilizarem bicicletas em pistas de terra.

Publicidade
Publicidade

Além de mais barato e fácil de praticar do que o MotoCross, o BMX se popularizou rapidamente e já na década de 70 foi criada a primeira federação nos Estados Unidos. Em 1981, surgiu a Federação Internacional de BMX e em 1982 foi disputado, em Las Vegas, o primeiro mundial do esporte.

O BMX é uma competição no formato de corrida de bicicletas, com uma pista cheia de obstáculos.

Além dos obstáculos, as pistas incluem também saltos e curvas de nível. Leva a melhor o ciclista que conseguir cruzar a linha de chegada primeiro.

A mais nova e também mais radical modalidade do ciclismo, proporciona aos espectadores saltos, manobras e até tombos espetaculares. Por isso os atletas usam trajes acolchoados, capacetes, protetor de boca e luvas para evitar qualquer tipo de acidente.

Os pilotos largam de uma rampa de aproximadamente oito metros, ganhando velocidade na descida.

Publicidade

Eles se utilizam do impulso corporal para saltar sobre os obstáculos e aterrissam na pista.

A bicicleta do BMX é pequena e tem rodas de aro 20, apenas uma marcha e um freio. Ela é muito resistente, pois precisa aguentar os saltos ao longo do percurso.

A pista onde acontecem as competições tem entre 300 e 400 metros de extensão.

O esporte estreou nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. No Rio, será a terceira vez que ele vai distribuir medalhas nos jogos.  

Nas Olimpíadas a competição de BMX é disputada no formato supercross, ou seja, cada bateria tem oito ciclistas. Os quatro primeiros a cruzar a linha de chegada passam de fase.

Vamos poder conferir as provas individuais femininas e masculinas. Ao todo serão 48 atletas, 32 homens e 16 mulheres, disputando as 6 medalhas olímpicas.

Atualmente, a seleção brasileira de BMX está treinando na Argentina para os desafios internacionais que a equipe terá este ano. O Brasil vai contar com dois representantes na modalidade para disputar as Olimpíadas.

Gostou de conhecer o Ciclismo BMX? Então fique ligado porque no próximo texto vou falar sobre o Ciclismo de Pista. Espero vocês! Até lá!  #Rio2016