O Palmeiras tem o maior patrocínio do #Futebol nacional. Atualmente, a Crefisa e a FAM (empresas do mesmo grupo) pagam aos cofres alviverdes R$ 64 milhões anuais. 

Antes, a financeira e a faculdade concorriam com a Prevent Senior e a TIM. A empresa de telefonia estampava sua marca dentro do número da camisa e pagava R$ 1 milhão anualmente. A Prevent paga valor um pouco maior para colocar sua marca no omoplata. Com os contratos encerrados, o #Palmeiras resolveu negociar toda a vestimenta com a patrocinadora master, que topou os novos valores e resolveu investir. 

Com a totalidade do uniforme, as exigências aumentaram. A diretoria tinha o costume de promover anúncios do seu programa de sócio-torcedor, o Avanti.

Publicidade
Publicidade

Na partida contra a Ferroviária, no entanto, a situação não pegou bem. Ao invés do nome dos atletas na barra de trás do uniforme, veio estampada a  hashtag #sejasocioavanti. De acordo com informações não confirmadas, a executiva Leila Pereira, que é uma das donas das empresas, ficou bastante irritada e pediu reunião urgente com Paulo Nobre, presidente do clube. 

Por conta da situação, a Crefisa não depositou o valor mensal de R$ 6,5 milhões referente ao contrato firmado. No meio do valor estava também os salários do paraguaio Lucas Barrios, bancados integralmente pela empresa de Leila. 

Reunião para acertar detalhes

Uma reunião aconteceu com a presença do jurídico palmeirense. A Crefisa pediu para que o uniforme seja apresentado antes das partidas para algum representante da empresa. A ideia é validar e autorizar possíveis situações como a que aconteceu na derrota frente à Ferroviária. 

Palmeiras Corporate Club

Em paralelo ao patrocínio máster, Paulo Nobre reuniu executivos e torcedores com alto poder aquisitivo para oferecer 'cotas' de colaboração.

Publicidade

O clube procura mais formas se se tornar auto-sustentável sem depender de receitas de televisão e outras fontes. 

Clássico domingo será pela manhã

São Paulo e Palmeiras se enfrentam no Pacaembu, domingo, às 11h da manhã. A alteração foi feita por conta da onda de protestos que ocorrerão no Brasil contra o Governo Federal e a corrupção.  #Copa Libertadores 2016