Os escândalos de doping e #Corrupção envolvendo atletas russos despertou uma reação enérgica do país europeu. Segundo autoridades da Rússia, após diversos atletas testarem positivo para substâncias ilícitas - especialmente o meldonium -, existe a possibilidade de haver uma conotação política global por trás dos recentes casos. Por conta desta desconfiança, será instaurado um processo interno para averiguar se de fato os competidores são culpados ou se estão sendo perseguidos.

A Rússia está envolvida em uma série de controvérsias em relação ao doping e manipulação de exames. Por conta disso, a Agência Mundial Antidoping (WADA) tomou uma série de medidas, juntamente com a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

Publicidade
Publicidade

Segundo os órgãos, atletas, treinadores e dirigentes estariam tentar burlar os mecanismos utilizados para manter o esporte "limpo". O atletismo russo, principal alvo da operação, está suspenso e corre contra o tempo para poder inscrever seus representantes na Rio 2016.

Entretanto, segundo o vice-primeiro ministro russo Arkady Dvorkovich, a probabilidade de que alguns esportistas tenham sido flagrados de forma injusta possa ter ocorrido, por conta de questões políticas. Para o dirigente, existem fatores que fogem da esfera esportiva para prejudicar o esporte da Rússia, às vésperas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, além de outras competições oficiais. A potência, portanto, iniciará uma investigação interna para depois se manifestar e se defender das acusações.

Conspiração?

Além do caso da tenista Maria Sharapova - que foi flagrada durante o Aberto da Austrália pelo uso do meldonium (substância que foi proibida no dia primeiro de janeiro) -, outros nomes de peso do esporte russo também testaram positivo para a droga.

Publicidade

A patinadora artística Ekaterina Bobrova, o patinador de velocidade Pavel Kulizhnikov e os patinadores de curta distância Semion Elistratov e Ekaterina Konstantinova teriam utilizado a mesma substância de Sharapova, que tem uma função específica para melhorar o sistema cardíaco. Segundo a Wada, a droga pode melhorar o desempenho esportivo.

Arkady Dvorkovich alertou para uma possível conspiração, ainda mais pelo fato de a Rússia ser a segunda maior potência do esporte mundial, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Para o vice-primeiro ministro, não está descartada a participação de intermediários, que teriam prejudicado os patinadores, conforme contou à agência russa R-Sport. Na sexta-feira (11), a WADA divulgou que 99 atletas já foram pegos em exames antidoping por utilização do meldonium, substância desenvolvida no Leste Europeu. Maria Sharapova alegou que tomava a medicação há dez anos, para prevenir a diabetes, mas admitiu que ocorreu uma falha individual e de toda a sua equipe. A ex-número 1 do mundo ainda será julgada, mas deverá pegar uma suspensão pesada. #Entretenimento #Rio2016