Vladimir Putin vive uma situação de extremos na vórtice que se tornou o escândalo dos casos de doping, principalmente entre atletas russos. O presidente da potência europeia, depois de ser acusado de participar do esquema, articulado por competidores, treinadores, dirigentes e laboratórios, veio a público para se defender e também exigir que os responsáveis fiquem mais atentos. Irritado com a situação, ele questionou a competência dos dirigentes responsáveis por gerir o esporte do país.

Depois de o esquema de #Corrupção ser deflagrado, o atletismo russo foi suspenso por tempo indeterminado de competições oficiais e precisará apresentar para a Agência Mundial Antidoping (WADA) garantias de que está cumprindo as exigências feitas para entidade.

Publicidade
Publicidade

Caso contrário, a Rússia - segunda maior potência do atletismo mundial, somente atrás dos Estados Unidos -, não participará da Rio 2016 nesta modalidade.

Nesta quinta-feira, 17, o temperamental presidente russo disparou contra o ministro dos Esportes, Vitaly Mutko, e outros dirigentes sobre os escândalos que acometeram o país nos últimos meses. "Não devemos politizar nem promover teorias da conspiração”, afirmou o mandatário, após se reunir com seus subordinados. “É óbvio que os nossos dirigentes desportivos deixaram passar o prazo e não atualizaram tempo as listas de substâncias proibidas”, disse o presidente russo, em comunicado à imprensa.

No começo da semana, o vice-primeiro ministro russo Arkady Dvorkovich afirmou que algumas das punições sofridas pela Rússia teriam origem política.

Publicidade

Já em janeiro, depois das sanções aplicadas pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), em conjunto com a WADA, surgiram rumores de que Vladimir Putin sabia do esquema de manipulação para que testes positivos fossem falsificados por laboratórios, principalmente na Alemanha.

Mais recentemente, dezenas de casos vieram à tona. O mais emblemático foi o da tenista russa Maria Sharapova, que convocou uma entrevista coletiva para afirmar que havia testado positivo para a substância meldonium duranta a disputa do Aberto da Austrália. Posteriormente, a WADA divulgou que mais 99 atletas foram flagrados pelo uso da mesma droga, boa parte deles russos, inclusive competidores dos Jogos Olímpicos de Inverno. O meldonium - proibido no dia primeiro de janeiro pela WADA - é uma droga que ajuda na prevenção de doenças do coração e que pode aumentar o desempenho esportivo. #Entretenimento #Rio2016