Pinto da Costa foi o único a se candidatar à Presidência do FC Porto, mas nem assim as eleições deixaram de ser altamente polêmicas, levantando várias questões quanto à sua legitimidade democrática. Tal como informa o jornal “Correio da Manhã”, vários sócios garantiram que não tiveram a privacidade suficiente e não tinham a certeza de como poderiam votar em nulo, ou seja, contra a eleição de Pinto da Costa. Segundo vários testemunhos, caso um sócio quisesse votar contra o atual presidente, todos saberiam rapidamente que ele o tinha feito, pois era obrigado a escrever uma mensagem para conseguir o voto pretendido.

Depois de ter garantido que o FC Porto bateu no fundo e de que estava arrependido de muitas coisas que fez nos últimos anos, que têm sido negros para o FC Porto, Pinto da Costa decidiu se recandidatar para mais quatro anos à frente do clube, sabendo que dessa vez muitos sócios não tinham tanta vontade que o lendário dirigente continuasse no craque.

Publicidade
Publicidade

Apesar de terem sido contabilizados cerca de 21% de votos nulos contra a candidatura de Pinto da Costa, a verdade é que esse número poderia ter sido muita mais significativo se muitos sócios, que decidiram votar no último domingo, não se tivessem sentido pressionados e encurralados pela falta de privacidade que sentiram, bem como na dificuldade de conseguir votar nulo. Na verdade, tal como informa o jornal “Correio da Manhã”, só com uma mensagem escrita no boletim é que a direção considerava o voto nulo, pois se o votante não escrevesse nada, mesmo não colocando uma cruz, essa ação era considerada um voto para Pinto da Costa.

Por isso mesmo, bastava apenas receber o boletim e rapidamente dobrá-lo para Pinto da Costa somar um voto, uma alteração recente na política de votação do FC Porto que com certeza teria confundido grande parte dos sócios, além de muitos deles terem sido pressionados para dizerem se escreveram algo, rapidamente as pessoas do clube saberiam que ele era contra a direção de Pinto da Costa.

Publicidade

Ainda assim, o atual presidente foi reeleito e vai agora comandar os destinos do clube por mais de quatro anos, ainda que os resultados das eleições possam ter sido facilmente comprometidas. #Europa #Futebol Internacional