Mais um triunfo para a conta de Novak Djokovic. Na tarde desta sexta-feira, dia primeiro de abril, o número 1 do mundo assegurou vaga na decisão do Masters 1000 de Miami, evento disputado em quadras sintéticas, e com US$ 7.037.595 em premiações totais. "Nole" teve um adversário complicado pela frente, mas derrotou o belga David Goffin, cabeça de chave 15, por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-5) e 6/4, após 2h05 de batalha. O sérvio segue invicto contra o oponente, agora com quatro triunfos.

Com mais uma final assegurada na carreira, ele aumenta para onze participações consecutivas sua presença na decisão de um evento da categoria Masters 1000, que em termos de importância, só ficam atrás dos quatro Grand Slam (Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open).

Publicidade
Publicidade

Djokovic, pentacampeão em Miami, vem embalado pelo título obtido em Indian Wells na semana retrasada. Seu próximo rival sai do encontro entre o australiano Nick Kyrgios, contra quem nunca jogou, ou diante do japonês Kei Nishikori, com seis resultados positivos em oito encontros.

O tenista de Belgrado está na briga para superar outros recordes na competição disputada no estado da Flórida. Com cinco títulos do Masters 1000 de Miami, ele está somente um atrás do ex-número 1 do mundo, o norte-americano Andre Agassi. Já em termos de eventos desta categoria, Djokovic está empatado com o espanhol Rafael Nadal, ambos com 27 conquistas deste porte, três a mais do que o suíço Roger Federer, o terceiro mais bem colocado da lista.

Premiações

O mais impressionante, entretanto, é que o atual líder do ranking de entradas da ATP pode ultrapassar Federer no total de premiações acumuladas no decorrer da carreira, mesmo sendo seis anos mais jovens (o suíço tem 34, ao passo que o Nole completa 29 em maio).

Publicidade

O sérvio já amealhou US$ 97.171.248 em premiações totais, diante de US$ 97.855.881 do suíço. Como o campeão do Masters 1000 de Miami engorda a conta bancária em US$ 1.028.300, Djokovic pode quebrar dois recordes de uma só vez. Vale ressaltar que as premiações, com novos patrocinadores injetando dinheiro no circuito, "facilitaram" um pouco as coisas para "Nole".

Nesta temporada, o sérvio já foi campeão do Aberto da Austrália, do ATP 250 de Doha, e do Masters 1000 de Indian Wells. Contra o talentoso David Goffin, Djokovic não fez um bom primeiro set e precisou batalhar muito para levar a decisão da parcial ao tiebreak. Sólido mentalmente, soube aproveitar as falhas do belga para largar na frente. No segundo set, o sérvio teve uma oportunidade de quebra e não desperdiçou, sacramentando o resultado positivo. #Entretenimento #Tênis #Resenha Esportiva