Discussão fixa quando a pauta é #Futebol brasileiro, os campeonatos estaduais seguem firmes e fortes mesmo sendo alvo de críticas de parte da crônica esportiva. Segundo a ala favorável ao fim dos regionais, o calendário extenso e jogos pouco atrativos prejudicam o torcedor e fazem dos estaduais um peso para os grandes clubes. Os mais conservadores defendem a permanência desses torneios pela tradição e pela necessidade dos clubes menores estarem em atividade.

Luiz Ademar, comentarista dos canais SporTV e Premiere Fc e idealizador do site Futebol Caipira, está entre esses dois grupos. Defende a permanência dos estaduais dentro do calendário do futebol brasileiro, mas pede fórmulas mais "atrativas" de disputa.

Publicidade
Publicidade

Em #entrevista exclusiva à Blasting News Brasil, o jornalista sugeriu um novo formato para o Campeonato Paulista.

"Sou a favor da permanência dos estaduais, Mas com fórmulas atrativas. Minha sugestão na Federação Paulista foi a seguinte: Paulistão com 32 clubes na Primeira Divisão. Quase nos mesmos moldes da Copa do Mundo, mas com a primeira fase com ida e volta. Os 16 classificados poderiam fazer jogos mata-matas em ida e volta, até chegar ao campeão. E os 16 eliminados na primeira fase fariam um turno e returno e cairiam 6 ou 8 clubes. Com dois meses, acabaria o Paulistão e teríamos jogos mais atrativos", sugeriu Ademar.

No formato atual, o Paulistão reúne 20 clubes divididos em quatro grupos de 5 equipes, com as duas melhores de cada chave avançando às quartas de final - disputada em jogo único.

Publicidade

Na sequência, ocorre as semifinais e a final, ambas disputadas em dois jogos. O campeonato é jogado de janeiro a maio.