O Sporting reagiu com ironia às notícias de jornais de referência portugueses que garantem que Jesus está muito perto do FC Porto. Tal como garante o jornal “Record”, tal como já aconteceu no passado, principalmente com o interesse demonstrado por um clube chinês, os dirigentes do Sporting garantem que essa estratégia de comunicação adotada pela imprensa portuguesa apenas servem para prejudicar o clube português, que está entrando em uma fase decisiva da temporada. Contudo, tal como Jesus fez com o Sporting enquanto trabalha com o Benfica, tudo indica que dez milhões de euros podem ser suficientes para convencer o Sporting.

A rivalidade que era somente entre Sporting e Benfica ganhou mais um protagonista de peso, sobretudo fora dos gramados portugueses: o FC Porto.

Publicidade
Publicidade

Em uma tentativa de revolucionar o seu plantel, que não tem dado resultados positivos nos últimos três anos, Pinto da Costa iniciou várias conversações com o seu velho amigo Jorge Jesus com o principal objetivo de conseguir convencer o técnico português a reerguer o clube portista.

Tal como informa o jornal “Record”, o FC Porto pretende pagar dez milhões ao seu rival e oferecer uma proposta irrecusável de três anos a Jorge Jesus para conseguir a sua contratação já no final da presente temporada. Como aconteceu no passado, a direção do Sporting, sobretudo o seu presidente Bruno de Carvalho, tem garantido que a imprensa portuguesa tem tido fontes e informações erradas por parte do Benfica, apenas com o objetivo único de atingir o plantel de futebol profissional do clube, que está atualmente a dois pontos da liderança.

Publicidade

Porém, e também como já é normal quando se trata de Bruno de Carvalho, o presidente leonino não tem por hábito manter os seus técnicos por um longo período de tempo, preferindo mudar regularmente sempre que eles não cumprem com os objetivos mínimos do clube para as temporadas em questão. Em uma altura em que Jorge Jesus se arrisca a não vencer nada, apesar do enorme investimento do Sporting, os dez milhões do rival podem ser decisivos para o clube largar o seu treinador em julho. #Negócios #Futebol Internacional