Depois de um mês, o Verdão volta a jogar em seu estádio, em situação delicada na tabela. Nesta quinta-feira (14), o jogo #Palmeiras x River Plate decide o futuro do clube na Libertadores. Ganhar, porém, não é suficiente. O alviverde torce para que o Nacional-URU, já classificado, vença em casa o time argentino do Rosario Central, missão que ficou complicada quando o técnico uruguaio anunciou que terá nove desfalques para a partida.

Além disso, o time precisa de muitos gols, pois será considerado o saldo dos clubes para a definição dos classificados, em caso de empate nos pontos ganhos. No grupo 2, o Nacional tem nove pontos, o Rosario Central tem oito, o Palmeiras soma cinco e o River Plate fez três.

Publicidade
Publicidade

O jogo terá transmissão, ao vivo, do canal Fox Sports, às 21h45.

O técnico Cuca anunciou, como novidade, a volta do meia Cleiton Xavier. Há oito meses sem jogar, em recuperação de contusão, ele fica no banco de reservas, ao lado de Dudu, também liberado pelo departamento médico. Quatro desfalques foram confirmados: o atacante Gabriel Jesus, suspenso por ter levado cartão vermelho no último jogo; e o meia Zé Roberto, o zagueiro Edu Dracena e o atacante Cristaldo, todos com problemas físicos. Arouca volta ao time, após ausência de dois jogos.

Novamente cercada de mistério, a escalação não foi confirmada pelo treinador, mas o Verdão deve entrar em campo com: Fernando Prass, Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo, Egídio, Gabriel, Arouca, Robinho, Allione, Erik e Alecsandro.  Além de Dudu e Cleiton Xavier, também foram relacionados: Vagner, João Pedro, Lucas, Roger Carvalho, Matheus Sales, Thiago Santos, Lucas Barrios e Rafael Marques.

Publicidade

Já desclassificado, o River Plate fez campanha sofrível na competição – três empates e duas derrotas – e apenas traz a conhecida garra uruguaia como arma para tentar uma despedida honrosa. Michael Santos, o melhor jogador da equipe, foi vetado por lesão. O técnico Juan Ramón Carrasco vai colocar o seguinte time em campo: Pérez, Ronaldo, Herrera, Flores, González, Montelongo, Cristian González, Tajan, Ribas, Flores e Schiaccapasse.  #Futebol #Copa Libertadores 2016