O atacante André já começa a viver dias de cobrança com a camisa do Corinthians. Sem grandes apresentações, animando pouco os torcedores, o atleta, porém, ganha o apoio do técnico Tite, que espera melhor rendimento do atleta durante o ano. Para ajudar seu avante, o técnico alvinegro, inclusive, lembrou a situação vivida por Vagner Love durante o certame 2015.

Palmeiras e Corinthians na TV

"O André tem seis meses de prazo ainda. Só deu o Vagner Love com nove meses, tal qual uma gestação (risos). A construção de equipe tem que amadurecer, coordenação de movimentos. A gente apressa esse processo, mas é inevitável. Tem tempo.

Publicidade
Publicidade

Calma. É um processo natural. O André terá seu momento, e a gente tem que ter calma para que ele possa desenvolver seu potencial. André é criativo, ofensivo, e requer um tempo maior", observou em conversa com a imprensa.

André chegou ao #Corinthians no início do ano, com as melhores expectativas de substituir Vagner Love - que também viveu altos e baixos em 2015, mas terminou o ano como titular absoluto, homem de confiança de Tite e Campeão Brasileiro. Já André passou a temporada passada no Sport, onde teve certo destaque. 

Tricolor quer vitória para embalar na Libertadores

O camisa 9, no entanto, tem histórico negativo na carreira. Desde que voltou ao Brasil, com a camisa do Atlético-MG, André luta para se firmar. No Galo, passou certo tempo até ser emprestado ao Vasco e Santos, mas também nos dois clubes não teve destaque.

Publicidade

De volta ao time de Minas Gerais, André não conseguiu assumir a titularidade. Insatisfeito, foi negociado junto com Giovanni Augusto.

Equipe voando nas fases decisivas

O Corinthians classificou-se nas duas competições importantes que disputou até agora: no #Paulistão 2016, com destaque, e também na Copa #Libertadores. Agora são somente decisões que a equipe de Tite terá pela frente. Segundo o treinador, é importante melhorar alguns pontos.

"Primeiro, aspectos emocionais, não deixar que erro de arbitragem, reclamação de torcedor ou erro de companheiro atrapalhe o nível de concentração, para que haja relação de confiança. No aspecto técnico, de criação, temos oscilado a precisão na finalização. Toda vez que há 40% ou mais de precisão, temos feito, e por isso somos o segundo melhor ataque. Se tivesse havido regularidade maior, o índice ia melhorar. E a amplitude, em termos técnicos, de alargar o campo. Precisão de finalização, aspecto emocional, auxílio do torcedor, manutenção da segurança defensiva", finalizou.