Depois de ter a sua nacionalidade brasileira suspensa em razão de uma liminar expedida em Curitiba, mais precisamente pela 5ª Vara Federal, a esgrimista Emese Takacs, nascida na Hungria, corre contra o tempo para conseguir reverter a situação e, assim, representar o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, no mês de agosto. Para tanto, conta com a ajuda da Advocacia Geral da União, que é parte interessada no processo, também na condição de ré, para derrubar a liminar expedida em primeira instância.

A previsão é de que o recurso seja interposto já na próxima semana, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, no próprio estado do Paraná.

Publicidade
Publicidade

Uma vez que foi responsável por conceder a nacionalidade brasileira à esgrimista, por meio de portaria, a Advocacia Geral da União atua não somente para defender os interesses da atleta mas para legitimar seu próprio ato, sustentando a legalidade dos procedimentos adotados por meio de provas documentais.

Emese Takacs, naturalizada brasileira desde abril de 2015, conseguiu classificação para competir nos #Jogos Rio 2016, na categoria individual e também na disputa por equipes. A esgrimista se casou em 16 de maio de 2013, e o curto espaço de tempo entre as núpcias e a obtenção na nacionalidade é um dos motivos elencados pela Juíza Federal Anna Karina Strip para fundamentar o seu despacho. Os questionamentos vão além, passando pela legitimidade do próprio casamento, o tempo total da atleta no país e o domínio da Língua Portuguesa.

Publicidade

Embora aguarde na Hungria o desenrolar dos trâmites jurídicos, Emese permanece atenta aos acontecimentos e trabalha com a possibilidade de contratar um advogado brasileiro para também entrar com um recurso. A data limite para que a situação seja revertida e a atleta possa participar dos Jogos Rio 2016 é o dia 1º de julho, quando todos os atletas serão inscritos pela Confederação Brasileira de Esgrima. A disputa judicial teve início em uma denúncia realizada por Giocondo Cabral, técnico da esgrimista Amanda Simeão, que na condição de reserva da equipe brasileira herdaria a vaga uma vez confirmada a exclusão de Emese Takacs. #Rio2016