Órgão diretores do esporte mundial têm recebido pressão para impedir a Rússia de participar das Olimpíadas do Rio de Janeiro, após a revelação de que a Agência de Antidoping do Reino Unido (UK Antidoping Agency’s, ou UKAD, em inglês) tem encontrado uma série de dificuldades para realizar testes nos atletas russos.

A UKAD foi encarregada de conduzir os testes antidoping na Rússia após a agência responsável pelos exames daquele país ter sido suspensa, em face de um escândalo ocorrido nas Olimpíadas de Inverno de Sochi, realizadas em 2014. Naquele ano, amostras de sangue ou urina de atletas russos que participaram dos Jogos Olímpicos, e que apresentavam resultado positivo para o uso de substâncias ilegais, foram descartadas pelo laboratório que fazia os testes.

Publicidade
Publicidade

A rede de notícias alemã ARD foi a responsável por tornar o caso público, e Grigory Rodchenkov, o então diretor do laboratório antidoping de Moscou, chegou a destruir 1.417 amostras suspeitas de atletas russos, numa tentativa de fugir ao controle da Agência Mundial Antidoping (WADA). Desde então, atitudes da Rússia têm sido encaradas com muita desconfiança pelas autoridades do esporte mundial que combatem o doping.

Dificuldades pelo caminho e doping detectado

A UKAD revelou que dos 247 testes supervisionados pela agência em território russo, entre novembro de 2015 e maio de 2016, 99 não puderam ser efetivamente realizados, por não ter sido possível localizar o atleta do qual a amostra foi colhida. Dos testes que foram concluídos com êxito, 49 revelaram o uso de substâncias ilegais, o que representa 20% do total – sendo 47 resultados positivos para meldonium, uma droga que melhora a oxigenação dos músculos e aumenta o desempenho dos atletas.

Publicidade

Funcionários da UKAD relataram que estão cada vez mais frustrados com o comportamento da Rússia, pois autoridades daquele país estão atrasando o envio de amostras para o laboratório, e pedem para que a agência espere por um prazo de 30 dias antes de testar atletas russos baseados em cidades militares. No entanto, um porta-voz da UKAD negou que a agência estivesse a ponto de abandonar a Rússia por causa das dificuldades que está enfrentando.

A decisão final sobre se a Rússia poderá ou não participar das Olimpíadas do Rio de Janeiro caberá à Federação Internacional de Atletismo (IAAF), em uma reunião que será realizada no dia 17 de junho. A maioria dos observadores internacionais, no entanto, acredita que a delegação russa não terá permissão para participar dos Jogos Olímpicos. #Rio2016