O Comitê Olímpico Internacional (COI), após realizar a análise de 454 amostras colhidas de atletas que participaram dos #Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, decidiu pela suspensão de 31 participantes. Num esforço feito pelo organização dos jogos para que as próximas competições sejam disputadas por atletas 'limpos' e se utilizando de alta tecnologia para a conservação de todo o material, a comissão tomou tal decisão. As reanálises deverão prosseguir e mais participantes poderão ser proibidos de disputar as modalidades olímpicas.

Nesta terça-feira, dia 17, o COI divulgou a informação de que 12 atletas de diversos países e de 6 tipos diferentes de modalidades esportivas deverão ser suspensos dos jogos, por causa do resultado positivo para o exame de doping. Sem divulgar quais são os competidores, os respectivos comitês de cada nação deverão ser informados da decisão.

Publicidade
Publicidade

Nesta primeira etapa, serão 31 participantes.

Os organizadores decidiram, de maneira deliberada, efetuar novas análises no atletas que possuem uma grande chance de participar dos próximos jogos no Rio. O próximo passo será realizar uma nova reanálise nos competidores dos jogos de 2012, em Londres. A intenção é que as Olimpíadas no Rio de Janeiro, neste ano, possam contar com a participação de atletas que não estejam atuando de maneira alterada.

Para os participantes cujo resultado foi positivo, as medalhas conquistadas deverão ser devolvidas. Os procedimentos adotados deverão incluir também uma nova análise das amostras dos competidores que foram beneficiados com o resultado nada satisfatório de seus concorrentes.

A atitude do Comitê Olímpico em ser mais rígido com relação aos atletas das últimas competições, é pelo episódio da suspeita de alterações dos resultados de exames de participantes dos últimos jogos de inverno de Sochi, em 2010.  Diante disto, o COI decidiu que fosse aberta uma investigação pela Agência Mundial Antidoping.

Publicidade

O órgão solicitou que as mais modernas técnicas de análise fossem empregadas. O trabalho deverá ficar a cargo do Laboratório de Lausanne, onde todo o material deve ficar estocado por pelo menos dez anos. De acordo com Thomas Bach, presidente do Comitê, todo um trabalho deverá ser feito para que aquele que se valer de algum tipo de trapaça possam ser pego. Além disto, quem estiver sob o efeito de algum tipo de substância proibida não deverá conseguir escapar.   #Rio2016 #Tendências