Emprestado pelo Sport, em negociação que aconteceu em dezembro do ano passado, o meia Régis deve estar de saída do #Palmeiras para defender o Bahia, clube que disputa a Série B do #Campeonato Brasileiro e tem seu #Futebol dirigido por Nei Pandolfo, ex-auxiliar técnico do Verdão - de janeiro de 2008 a junho de 2009.

Assim como Leandro Almeida, Régis não viajou com o elenco para a preparação na cidade de Atibaia, interior de São Paulo, e está ausente dos gramados desde o dia 6 de maio, quando sentiu dores no ombro esquerdo.

Na última segunda-feira (16), o Palmeiras realizou jogo treino contra o Juventus, da Mooca, e quem entrou em campo vestindo a camisa de número 30, que pertencera a Régis, foi Fabrício, recentemente emprestado pelo Cruzeiro em troca que envolveu o também cruzeirense Fabiano e os palmeirenses Robinho e Lucas.

Publicidade
Publicidade

O meia esteve em campo, pelo Palmeiras, em apenas quatro jogos, tendo entrado em substituições. Porém, com Cuca, teve apenas uma oportunidade, na traumática partida contra o Água Santa - o time de Diadema derrotou o Palmeiras por 4 a 1 na ocasião.

O Bahia revelou interesse em ter o palmeirense em seu elenco há quase dois meses, mas as conversas não evoluíram e o jogador permaneceu à disposição do técnico Cuca para a temporada. Porém, as ausências nos treinos na Academia apontam para a saída do atleta do Palmeiras nos próximos dias.

Nesta terça-feira (17), o meia não esteve em campo juntamente com seus companheiros, no Centro de Treinamento da Barra Funda.

A motivação para a sua contratação por Alexandre Mattos foi o fato de Régis ter se mostrado um meio campista de alta qualidade durante a temporada 2015 pelo Sport, que terminou o campeonato na 6ª colocação, tendo conquistado 59 pontos, seis a mais que o Palmeiras, que ficou em 9º lugar.

Publicidade

Os direitos econômicos de Régis pertencem ao clube pernambucano e o Bahia tem a pretensão de adquirir parte deles para poder contar com o jogador.

Questionado sobre possíveis reforços para a temporada, Pandolfo desconversou afirmando apenas que "continua a busca por novos reforços" afim de criar novas opções ao treinador do Bahia, Doriva, e não citou nenhum nome.

A transferência do palmeirense para o Bahia tornou-se praticamente nula depois que o time contratou outro meio, Renato Cajá, que estava no Sharjah FC, time dos Emirados Árabes Unidos. Porém, a ida de Régis para o time de Doriva ganhou novo fôlego na semana passada.

Se concretizada a negociação, Régis será o segundo ex-Palmeiras no time baiano que já conta com o zagueiro Jackson, do Internacional e que defendeu o Alviverde em 2015.

Outro fora

Diferentemente de Régis, Leandro Almeida tem sua situação indefinida no Palmeiras. Contratado até junho de 2018, ele também não viajou para Atibaia e nem tem treinado com o elenco. Em abril, cogitou-se uma provavél transferência do zagueiro para o Criciúma e ele seria um dos emprestados pelo Palmeiras em negociação que envolveu a vinda de Roger Guedes. Porém, ele mesmo recusou-se a selar o acordo.