Dafne Schippers é uma velocista holandesa que começou a praticar esportes aos nove anos de idade, e estará nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Desde muito nova, demonstrou ter habilidades em várias modalidades desportivas diferentes, o que a levou a praticar o heptatlo.

Atualmente, com 23 anos, Dafne se destacou recentemente nos 100 e 200 metros rasos, e acabou aposentando-se do heptatlo, passando a dar prioridade às corridas. Tudo indica que foi uma aposta acertada, pois a holandesa fez uma corrida espetacular no campeonato mundial ocorrido em 2015, na China, quando conquistou a medalha de ouro nos 200 metros. O mais impressionante é que Dafne só havia começado a treinar como velocista em tempo integral três meses antes de se tornar campeã do mundo.

Publicidade
Publicidade

Desempenho incrível

Seu tempo de 21,63 segundos nos 200 metros rasos, obtido em 2015, só ficou abaixo de duas outras marcas históricas, alcançadas por atletas controversas - Marion Jones, que declarou ter usado anabolizantes durante sua carreira, sendo por isso banida do esporte, e Florence Griffith-Joyner, falecida em 1998, que mesmo sem ser pega em um exame antidoping, conquistou recordes tão absurdos que, até hoje, há suspeitas de que ela tenha usado alguma substância ilegal durante as competições das quais participou.

Dafne ressaltou ao site inglês The Guardian a frequência com que é testada em exames antidoping, nunca tendo sido pega usando algo proibido para melhorar seu rendimento, e disse que acredita na necessidade de o atletismo se livrar da imagem ruim que o doping acabou atrelando ao esporte, por causa de atitudes de alguns competidores desleais - opinião partilhada por Usain Bolt, o astro masculino das pistas.

Publicidade

Sem intimidação

A atleta também afirmou ao The Guardian que quando está prestes a começar uma prova de corrida, outras atletas tentam intimidá-la com olhares agressivos, os quais ela não leva em conta, dizendo ainda que não pretende fazer o mesmo com suas rivais: "As pessoas fazem isso. Mas eu escolhi não fazer. Não é meu estilo. Acho engraçado quando outras corredoras o fazem, e eu apenas sorrio para elas".

Assista à corrida em que Dafne Schippers se tornou campeã mundial, em 2015:

#Rio2016