Além dos problemas dentro de campo, o Flamengo segue a sua luta contra a atual cúpula da Federação de #Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). Nesta quarta, surgiu a informação de que o Rubro-Negro foi acionado na Justiça pela entidade.

No pedido, impetrado pelo presidente da FERJ, Rubens Lopes, é solicitado que a diretoria do clube da Gávea venha a público para retratar-se das declarações de Eduardo Bandeira de Melo ao canal fechado ESPN Brasil, além de ter de pagar uma indenização por difamação. No ano passado, o mandatário flamenguista, em entrevista ao Blog Dois Toques, teria dito que, mesmo tendo  conhecimento da necessidade de haver uma mudança na estrutura do poder da Federação para tornar o processo mais democrático, essa ideia não seria levada à frente por conta de um suposto temor da atual administração.

Publicidade
Publicidade

Naquele mesmo dia, ele se encontrou com Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol, para o qual revelo a vontade de ter sido administrado por tal entidade.

Essas palavras geraram um clima de profunda indignação ao membros da FERJ. Segundo eles, o presidente do #Flamengo, de maneira inteligente, desferiu uma profunda ofensa contra a reputação de quem comanda o futebol carioca. Antes de entrarem na Justiça, tentou-se que Bandeira de Melo se explicasse formalmente. O dirigente rubro-negro, porém, não atendeu esses pedidos.

Ao portal da ESPN, o advogado e vice-jurídico do Flamengo, Flávio de Araújo Willerman declarou ainda não ter sido notificado oficialmente do processo, mas assegurou, de maneira categórica, que o presidente rubro-negro terá respaldo dentro do clube para se defender das acusações desferidas por parte da FERJ.

Publicidade

"Ainda não tomamos conhecimento. Quando formos, vamos encaminhar aos advogados para defesa", declarou Willerman.

Juntamente com o Fluminense, o Flamengo vem buscando alternativas para modificar o atual quadro do futebol no Rio de Janeiro, mais especificamente na formatação do Campeonato Carioca e vem encontrando forte resistência. Essa incompatibilidade de ideia piorou no ano passado, quando Eurico Miranda, que voltou a ser presidente do Vasco no final de 2014, assumiu uma postura de apoio à administração Rubens Lopes na FERJ. #PaixãoPorFutebol