Enquanto Levir Culpi segue treinando a equipe dentro de campo, nos bastidores, a diretoria continua a sua busca para aumentar as receitas do clube. Na tarde desta quarta, o Tricolor firmou um acordo com a SOS Mata Atlântica, organização não-governamental (ONG) privada criada em 1996 e que tem como missão defender a Mata Atlântica, conservando os patrimônios naturais e histórico, buscando um desenvolvimento sustentável para preservar tanto a fauna quanto a flora.

Na sexta, haverá, na sede das Laranjeiras, uma entrevista coletiva. Nesse evento, serão passados os detalhes dessa parceria. O sabido de antemão é que a ONG terá a sua marca estampada no uniforme do futebol profissional, tendo, inclusive, a chance de ser a tão sonhada patrocinadora master da agremiação do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Flu e Unimed: 15 anos de uma parceria vitoriosa

Quando caiu para a Terceira Divisão do futebol nacional, em 1999, o #Fluminense firmou um contrato de #Patrocínio com a Unimed, do ramo hospitalar. A partir daí, o clube se reergueu e passou a brilhar dentro do cenário esportivo, conquistando o Brasileirão por duas ocasiões (2010 e 2012), além de uma Copa do Brasil (2007), três Campeonatos Cariocas (2002, 2005 e 2012), sem contar os vices da Taça Libertadores da América de 2008 (depois de ser a equipe de melhor aproveitamento na primeira fase) e da Copa Sul-Americana da temporada seguinte.

Em 2014, de uma maneira conturbada, o "casamento" com a empresa de plano de saúde acabou e o Tricolor vem buscando alternativas para não ter um prejuízo dentro do seu caixa.

Viton 44: o mate que azedou

Para o lugar da Unimed, a primeira alternativa foi a Viton 44.

Publicidade

Ligada ao ramo de bebidas não-alcoólicas, a empresa, inicialmente, firmou um contrato de três anos com o Fluminense, onde desembolsaria, a cada 12 meses, R$ 15 milhões nos cofres tricolores. Aos poucos, no entanto, o negócio acabou tornando-se um prejuízo para ambas as partes (atraso nos pagamentos) e, no início desse ano, a parceria foi desfeita. Mesmo assim, ficou acertada que a Viton pagaria R$ 9 milhões em parcelas para acabar com todas as pendências.

Além da marca de bebidas, o Flu também firmou acordos menores com a Frescatto, gêneros alimentícios; e a Voxx, empresa do ramo de energéticos para academias. Essas parcerias continuam acontecendo. #PaixãoPorFutebol