30 de setembro de 1988. Aos 24 anos, um atleta paulista, filho de espanhóis, se tornava o primeiro judoca brasileiro a subir no lugar mais alto do pódio olímpico. Após cinco vitórias, o paulista Aurélio Miguel conquistava a medalha de ouro na categoria meio-pesado (até 95 kg). Para aumentar a importância do feito, o atleta foi o único brasileiro a vencer nos #Jogos Olímpicos de Seul, elevando para sete o número de medalhas de ouro conquistadas pelo Brasil nas Olimpíadas, até aquela edição.

Para chegar ao título olímpico, Aurélio Miguel precisou superar cinco adversários dentro do tatame, além do nervosismo que o acompanhou nas lutas iniciais.

Publicidade
Publicidade

As vitórias sobre os judocas Dennis Stweart, da Grã-Bretanha e Bjarn Fridriksson, da Islândia (medalha de bronze nos jogos de Los Angeles, em 1984), vieram na decisão dos juízes. Contra o italiano Juri Fazi a vitória foi mais tranquila e a classificação para a final olímpica veio com um triunfo sobre o tcheco Jiri Sosna, então campeão europeu. Finalmente, a conquista histórica veio contra o judoca Marc Meiling, da Alemanha Ocidental. O brasileiro venceu seu adversário em cinco das seis ocasiões em que se enfrentaram anteriormente, o que aumentou sua confiança para chegar ao ouro olímpico.

Quatro anos mais tarde, nos jogos de Barcelona, Aurélio Miguel era uma das apostas do esporte brasileiro para a conquista de  mais uma medalha, mas acabou sendo eliminado após duas derrotas em quatro lutas, caindo na repescagem.

Publicidade

Já em Atlanta, em 1996, o judoca se despediria em alto nível dos Jogos Olímpicos, conquistando a medalha de bronze aos 30 anos. Na competição, disputada no dia 22 de julho, Aurélio venceu as três primeiras lutas e esteve bem perto de chegar a mais uma final olímpica, sendo derrotado pelo polonês Pawel Nastula com um wasari a apenas 19 segundos do fim do combate. Mesmo assim, o brasileiro encontrou forças para superar o holandês Bernardus Sonnemans e conquistar a medalha de bronze.

Em 2013, Aurélio Miguel entrou para o Hall da Fama do judô, tendo seu nome gravado em definitivo na galeria dos grandes campeões do esporte. Hoje político, vereador na cidade de São Paulo em seu terceiro mandato, junta-se à torcida para que os judocas brasileiros possam manter a tradição que ajudou a construir e conquistar várias medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. #Rio2016