Homenageado pelo Comitê Olímpico Brasileiro ao ser um dos escolhidos para conduzir a tocha olímpica em sua terra natal, Taguatinga (DF), na última terça-feira (3), Joaquim Cruz é um dos nomes mais importantes da história esportiva do Brasil. Não é para menos, afinal, em duas oportunidades, o atleta subiu ao tão cobiçado pódio dos #Jogos Olímpicos, nos 800 metros rasos: em 1984, em Los Angeles, conquistou a medalha de ouro - única do Brasil na edição - e, de quebra, bateu o recorde olímpico. Já em Seul, quatro anos mais tarde, Cruz subiu ao segundo lugar mais alto, com a medalha de prata no peito.

O feito mais marcante da carreira de Joaquim Cruz foi realizado em uma tarde de segunda-feira, no dia 06 de agosto de 1984.

Publicidade
Publicidade

Com apenas 21 anos, o atleta superou o favoritismo do inglês Sebastian Coe, então detentor do recorde mundial, para fazer história. Não que o brasileiro fosse uma surpresa. Treinando há algum tempo nos Estados Unidos, era apontado pelos especialistas norte-americanos como um forte candidato ao ouro olímpico, que seria o terceiro obtido pelo atletismo do país até então (Adhemar Ferreira da Silva conquistara dois títulos no salto triplo, em 1952 e 1956). A vitória veio com uma arrancada sensacional nos metros finais e o tempo de 1:43.00, estabelecendo o recorde olímpico.

Após a medalha de prata nos jogos de Seul, em 1988, Joaquim Cruz recebeu uma série de homenagens. Em 1996, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta, foi o porta-bandeira da delegação nacional. Já em 2007, nos Jogos Pan-Americanos realizados no Rio de Janeiro, o atleta teve a honra de acender a pira olímpica.

Publicidade

Com seus feitos nas pistas, Joaquim Cruz escreveu seu nome na galeria dos grandes heróis olímpicos do país.

Na última terça-feira, Joaquim Cruz foi um dos escolhidos para conduzir a tocha olímpica pelas ruas de Taguatinga, sua cidade natal, recebendo o carinho do público que prestigiava o evento. Até a abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a tocha olímpica passará por 300 cidades brasileiras, até adentrar o Estádio do Maracanã, quando será acesa finalmente a pira olímpica, dando início aos jogos. #Rio2016