O combate ao terrorismo tem sido o grande desafio de países como EUA e Europa. Reforços na vigilância de fronteiras, maior integração entre as polícias e cooperação internacional tem sido medidas cruciais para a proteção de cidadãos em todo o mundo, alvos do fanatismo e da crueldade do grupo radical Estado Islâmico.

Estratégia e preparo

Segundo informa o site oficial Rio 2016, setores da Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, o chefe da Polícia Civil, o comando da Polícia Militar, e outros órgãos pertinentes, tem se reunido com a Diretoria de Segurança dos Jogos,  para definirem e traçarem estratégias que tornem mais eficaz a identificação de suspeitos e prevenção à possíveis atentados, que possam vir a ser praticados durante os jogos.

Publicidade
Publicidade

Andrei Rodrigues, Secretário Extraordinário de Segurança pelo Ministério da Justiça para grandes eventos, garante que o Brasil vai estar preparado e que serão muitos os desafios para a garantir da segurança num dos maiores eventos esportivos da humanidade.

Centro Integrado Antiterrorismo

Os jogos reunirão atletas de mais de 200 países, serão mais de 10 mil esportistas, concentrados praticamente em uma só cidade e certos aspectos merecerão especial atenção, relata o secretário: "Implementamos o Centro Integrado Antiterrorismo, ambiente especifico de polícia, de segurança pública e de inteligência [...]", que segundo Rodrigues, tem função de ampliar a troca de informações, promover aperfeiçoamento nas ações: "Policiais de vários países estão colaborando conosco, a cooperação mútua entre países é fundamental” informa o secretário.

Publicidade

Treinamento e reforços para os jogos

Como parte do plano, o Brasil enviou em 2015, cerca de cem policiais para conhecerem melhor as práticas envolvidas em grandes eventos internacionais, a exemplo das maratonas de Berlim, Boston, Mundial de Atletismo na China, Jogos Europeus, Tour de France e até a Assembleia Geral da ONU.

“O Brasil já sediou grandes eventos e já mostrou ao mundo que é capaz de prover segurança, para os Jogos, avançamos ainda mais", garante Andrei Rodrigues”, o secretário informa que contará com a participação perto de 50 mil profissionais, trabalhando de forma intensa nos meses durante os jogos (agosto e setembro).

Otimismo e atenção redobrada

Andrei se diz otimista e tem confiança de que o Rio de Janeiro e o Brasil não estarão na rota dos atentados, que o país esta preparado e adquiriu experiência na recepção de outros vários tipos de eventos, permitindo a todos envolvidos, avanços e amadurecimento.

Lembrando ainda que, “Provavelmente haverá um aumento no turismo em outros locais, os Jogos vão significar reforço na segurança nacional como um todo", que no plano estão esforços para tornar mais seguras a cidade e suas adjacências, mais segura como um todo, além de estar atento a todas as regiões do país, as que envolvem a passagem da Tocha Olímpica e as que receberão os jogos de futebol, onde acredita que haverá aumento no turismo.

Publicidade

“O Brasil está preparado", conclui o secretário.

54 documentos entregues ao Comitê Organizador detalham as operações, específicas para cada uma das 54 instalações, incluindo areas de competição, vilas dos atletas e cen tros de transmissão.

Lembrando que possibilidade de uma ameaça terrorista ao Brasil veio a tona depois que Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), confirmou ser autêntico o perfil e a mensagem do terrorista francês Maxime Hauchard, postada no Twitter, em novembro do ano passado (2015): “Brasil, vocês são nosso próximo alvo#Rio2016