Yelena Isinbayeva dispensa apresentações. Bicampeã olímpica no salto com vara, e considerada uma das maiores figuras do atletismo mundial, a atleta pode ser impedida de disputar os #Jogos Rio 2016. Um relatório publicado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) deu poder à IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo) para suspender a participação da atleta nos Jogos que serão realizados no Rio de Janeiro, junto aos demais participantes russos do atletismo. O relatório da Wada expôs um grande esquema de doping que teria ocorrido nos Jogos Olímpicos de Sochi-2014. Mesmo que Isinbayeva não tivesse lido seu nome no relato, ela também foi suspensa da prática de salto com vara, e impedida pela IAAF de participar dos Jogos Rio 2016.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, com unhas e dentes, Isinbayeva pretende lutar por seu direito de disputar os Jogos, com alegação de que seu nome não estava presente nos relatórios, e afirma, com todas as letras, de que a proibição é uma clara violação de seus direitos. Relatando a infração nos direitos humanos, a atleta prometeu que, caso aja negativa na decisão da participação de atletas russos nos Jogos, a bicampeã promete ir a um tribunal internacional, e confia no seu ganho de causa.

Ao que tudo indica, a IAAF dará o parecer em junho, se permitirá a participação ou não dos atletas do atletismo russo nas Olimpíadas Rio 2016.  Em um comunicado, ao vivo, em vídeo diretamente da internet, em sua casa, na Rússia, Isinbayeva declarou raiva com as organizações das investigações, alegando decepção e deixou claro que a carreira de diversos atletas pode ruir, caso tenham de aguardar até as próximas edições das Olimpíadas, no caso Tóquio 2020.

Publicidade

A bicampeã olímpica ainda empossou quatro exames antidoping, pelos quais passou recentemente, mostrando, claramente, estar limpa em todos.

Dirigentes russos já alegaram o pedido de revogação das acusações de doping. É o caso de Dmitry Shlyakhtin, que frisou a dedicação da Rússia em auxiliar na investigação, oferecendo documentos, testes antidoping recentes e acataram diversos pedidos das organizações superiores (Wada e IAAF) acerca do processo. O diretor encerrou comunicando que deseja maior atenção as outras nações, e não somente foco no gigante país do leste europeu.    #Rio2016