A tecnologia será uma das protagonistas da cobertura que a Globo está preparando para a Olimpíada do Rio de Janeiro em agosto com direito a várias novidades.

Além do número expressivo de profissionais escalados para o evento esportivo - mais de 2000 -, a emissora carioca apostará fortemente na mesa tática, já comum entre os comentaristas durante as transmissões de futebol.

Agora, o recurso ganha versões para o vôlei, basquete, handebol, vôlei de praia e natação, segundo informa a coluna do jornalista Flávio Ricco. Ou seja, com essas ferramentas, os comentaristas poderão mostrar cada lance e também exemplificar as estratégias adotadas pelos jogadores.

Publicidade
Publicidade

A do futebol também vem turbinada, com direito ao foco na "jogabilidade", ou seja, mostrar passes que, na teoria, teriam resultado em gols. Ao telespectador, vai ser possível compreender melhor o vai e vem no campo com o uso de projeções holográficas, dando destaque às poses e reações dos jogadores virtuais.

Mas não para por aí: a emissora da família Marinho surgirá como a primeira no mundo com uma Unidade Móvel com tecnologia 4KIP, com ferramentas que disponibilizam qualidade máxima de imagem e equipada com infraestrutura ágil e eficiente. A UM tanto poderá ser utilizada em eventos esportivos como em shows e outros tipos de atrações ao vivo.

O projeto é uma parceria da Globo com a Sony e Image e estará em uso especialmente nas transmissões do vôlei ocorridas no Maracanãzinho (Rio de Janeiro), que serão geradas pelo canal, completa a publicação.

Publicidade

Ao mesmo tempo em que a rede carioca investirá pesado nos Jogos Olímpicos, os outros canais abertos com os direitos de transmissão, Band e Record, farão coberturas mais modestas, especialmente em razão da crise econômica enfrentada pelo Brasil. A Band, inclusive, chegou a cogitar que seus profissionais nem iriam aos estádios para as narrações, ou seja, com as mesmas realizadas diretamente de seus estúdios no Morumbi. O canal voltou atrás e decidiu que em partidas importantes seus funcionários se deslocarão e farão os trabalhos in loco.

Como sabido, na semana passada a emissora do Morumbi anunciou que não renovou com a Globo para o Campeonato Brasileiro, parceria que os dois canais mantinham há anos e que rendia audiência expressiva para a concorrente da platinada. O Brasileirão foi substituído pela animação Os Simpsons, que derrubou os índices da Band. Às quartas-feiras, a vaga do campeonato será preenchida por episódios do reality show MasterChef Brasil.

A propósito, o novo ministro do Esporte, Leonardo Piccciani, declarou que a mudança no governo brasileiro não oferece risco à Olimpíada 2016. #Televisão #Rio2016