E o #Zika Vírus continua amedrontando as delegações dos países que vão desembarcar no Rio de Janeiro, em agosto, para a disputa das Olimpíadas. Curiosamente, o Comitê Olímpico da Austrália anunciou, na manhã desta segunda-feira, 16, que vai oferecer, para todos os seus atletas, preservativos criados especialmente para combater a contaminação sexual por meio do zika.

A camisinha antizika será distribuída pelo Comitê Olímpico Australiano no hotel onde a delegação ficará hospedada no Rio. O material contém um tipo de gel cientificamente criado para “desativar” o vírus zika, caso algum dos parceiros (as) sexuais na relação esteja contaminado (da), evitando, com isso, a transmissão.

Publicidade
Publicidade

Em nota, por meio do chefe da delegação, Kitty Chiller, o COA afirmou que “a preservação da saúde dos atletas australianos está em primeiro lugar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro” e que “a delegação estará atenta durante toda a disputa para garantir o bem-estar dos seus competidores”.

Essa é mais uma ação, feita por uma delegação olímpica estrangeira, para tentar evitar a contaminação de atletas com o surto do zika vírus que se espalhou pelo Brasil em 2016. Além da Austrália, recentemente, a delegação da Coreia do Sul também divulgou qual método antizika irá trazer para os Jogos Olímpicos do Rio. Trata-se de uniformes com camisas e calças tingidas com repelentes que matam o mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika vírus, da dengue, e da febre chikungunya, dentre outras doenças.

Além das doenças citadas acima, o zika vírus tem relação também com os inúmeros casos de microcefalia em recém-nascidos que foram registrados em 2015 e no início deste ano em praticamente todas as regiões do Brasil, sobretudo, na região nordeste, em estados como: Pernambuco (onde mais houve registros), Ceará, Maranhão e Bahia, mas também na cidade do Rio de Janeiro, sede principal dos jogos.

Publicidade

O surto do zika tem amedrontado principalmente as atletas, como a britânica Jessica Ennis-Hill, medalhista de ouro em Londres (2012) no heptatlo, que ainda não confirmou oficialmente a sua vinda para a Rio 2016, pois, segundo a mesma, pretende voltar a ser mãe ainda este ano e teme se contaminar com o vírus no Brasil. #Rio2016