O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) foi pego de surpresa no dia de ontem, terça-feira, 10 de maio, ao receber uma carta enviada pela principal autoridade esportiva da Austrália, John Coates, que pede diretamente ao presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, que o mesmo não permita que o técnico australiano de natação Scott Volkers, atualmente da equipe do Minas Tênis Clube (de Belo Horizonte), participe das Olimpíadas do Rio de Janeiro, pelo time do Brasil, no próximo mês de agosto.

De acordo com a carta enviada por John Coates, o treinador Scott Volkers foi acusado por três nadadoras australianas de ter cometido abuso sexual contra elas quando o mesmo trabalha no país ainda na década de 1980 (as acusações somente foram feitas no início dos anos 2000).

Publicidade
Publicidade

Por conta das acusações, Volkers foi impedido pela Justiça na Austrália de trabalhar com crianças e adolescentes. Segundo o site BBC Brasil, o treinador nega todas as acusações.

Após as acusações, Scott Volkers chegou a ir para um tribunal na Austrália, mas foi absolvido por falta de provas suficientes para condená-lo. Mesmo assim, o treinador não conseguiu mais trabalhar no país e, por conta disso, optou por tentar dar continuidade a carreira em outros países do mundo, chegando ao Brasil na década passada. Volkers já trabalhou com grandes nomes da natação brasileira, como o campeão olímpico Cesar Cielo. Atualmente ele treina outro importante nadador do país, Thiago Pereira.

Ainda com relação ao conteúdo da carta, Coates pede, inclusive, que Volkers seja banido do esporte, no Brasil e em qualquer outro país do mundo, e não tenha a honra de participar da Rio 2016, pois não teria credibilidade para isto.

Publicidade

O treinador Scott Volkers, até então, obtinha a total confiança do Comitê Olímpico Brasileiro, até mesmo pelo fato de ter classificado vários atletas para os Jogos Olímpicos em agosto, no entanto, de acordo com o site BBC Brasil, após a polêmica gerada pela referida carta, a participação dele nas Olimpíadas do Rio, pelo time brasileiro, agora está bastante ameaçada. #Rio2016