Uma das muitas polêmicas que envolvem a realização dos #Jogos Rio 2016, que passam desde os problemas estruturais do país até pendências esportivas que ameaçam invadir a esfera jurídica, a questão do doping, embora não seja nenhuma novidade, aflige mais diretamente aos amantes do esporte, já que fere uma das principais características do que se espera de uma competição, o jogo limpo. A série de denúncias que envolve os atletas da Rússia, uma das principais potências olímpicas de todos os tempos, vem causando escândalo na comunidade esportiva, especialmente pelos indícios de conivência do governo daquele país.

Na tentativa de amenizar, pelo menos em parte, a repercussão negativa das denúncias, que podem até mesmo comprometer a participação dos atletas do país nos Jogos Rio 2016, a promotoria de justiça da Rússia anunciou  nesta quinta-feira (19) que irá investigar os casos, que teriam ocorrido desde a Olimpíada de Pequim, disputada em 2008, passando por Londres 2012 e chegando aos Jogos Olímpicos de Inverno disputados em Sochi, quando a Rússia investiu forte para passar ao mundo a imagem de um país próspero e organizado (lembrando que, especialmente nos países do Hemisfério Norte, os Jogos de Inverno recebem atenção tão grande quanto os de Verão, que no Brasil tratamos simplesmente como "Olimpíadas").

Publicidade
Publicidade

Na véspera, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos já anunciara abrir um processo de investigação, e a previsão é de que as autoridades dos dois países venham a trabalhar em conjunto.

Os atletas russos estão suspensos das competições internacionais desde o final do ano de 2015, quando vieram a público as denúncias, que atingiram ainda técnicos e dirigentes. A Federação Internacional de Atletismo já anunciou que uma decisão definitiva quanto à participação da Rússia nos Jogos Rio 2016 só será tomada no dia 17 de junho. Enquanto isso, resta aos atletas se dedicarem ao campeonato nacional, a ser disputado no mesmo mês. O que já está acertado, conforme decisão do Comitê Olímpico Internacional, é que, independentemente da modalidade, todos os atletas de nacionalidade russa classificados para a Olimpíada deverão se submeter a pelo menos três exames antidoping.

Publicidade

De qualquer forma, a ausência da Rússia seria uma grande baixa para os Jogos Olímpicos, remetendo ao início da década de 80, quando Estados Unidos e União Soviética (acompanhada de outras nações do bloco socialista) não participaram dos Jogos de 1980 e 1984, respectivamente. Na época, as ausências foram motivadas por boicotes políticos. #Rio2016