Tradicionalmente realizados após as Olimpíadas, daqui a pouco começam os Jogos Paralímpicos da Rio 2016, que, neste ano, terá duração de 12 dias e disputas em 23 modalidades esportivas. A cerimônia de abertura do evento será feita no estádio do Maracanã, no dia 7 de setembro (feriado nacional), a partir das 17h30.

O Brasil tem crescido no ranking de medalhas a cada edição paralímpica. Em Londres-2012, a delegação nacional fez a melhor campanha da história e faturou 43 medalhas (21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze), garantindo o sétimo lugar geral. Para a Rio 2016, crescem as expectativas de novas medalhas, inclusive em modalidades que o Brasil não disputou em Londres.

Publicidade
Publicidade

O momento dos atletas, nos próximos meses, é de dedicação e treinos para os acertos finais. Para isso, várias competições foram programadas até a data de início dos Jogos. O Open Internacional de Atletismo Paralímpico, de 18 a 21 de maio, é o último da série de 44 eventos-teste organizados pelo Comitê Rio 2016.  Também estão marcados dois eventos do Circuito Brasileiro do CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), na cidade de São Paulo, nos meses de junho e julho. O primeiro reúne atletismo e natação, entre 24 e 26/06, e o segundo terá halterofilismo, atletismo e natação, de 14 a 17/07.

Finalmente, entre os dias 21 e 31 de agosto, atletas de 15 modalidades se preparam no Centro Paralímpico Brasileiro, também na capital paulista. Será um encontro de “aclimatação”, com 280 vagas no alojamento para as modalidades de basquete em cadeira de rodas, atletismo, esgrima em cadeira de rodas, bocha, futebol de 7, futebol de 5, halterofilismo, goalball, judô, halterofilismo, rúgbi em cadeira de rodas, natação, tênis em cadeira de rodas, tênis de mesa voleibol sentado e triatlo.

Publicidade

O revezamento da tocha olímpica, que está passando pelas cidades brasileiras, também tem a participação dos atletas paralímpicos. Em Brasília, Alan Fonteles, do atletismo, e Natália Mayara, do tênis em cadeira de rodas, foram os primeiros a sentir a emoção de levar a tocha. #Rio2016