Cinco medalhas olímpicas não são para qualquer um. Um multi campeão tem o direito de falar e o dever de criticar. Torben Grael, dono de cinco medalhas em #Jogos Olímpicos, não poupou críticas em entrevista à emissora britânica BBC, quando o assunto foi a qualidade da água onde serão disputadas as provas de Vela das Olimpíadas Rio2016. Segundo Torben, os resíduos descartados na Baía de Guanabara podem prejudicar competidores e, ao mesmo tempo, beneficiar competidores na mesma disputa.

Hoje técnico da seleção brasileira de Vela, Torben Grael não poupou palavras. Mencionando uma grande quantidade de plásticos e diversos outros detritos que poluem a água, admitiu que teme a disputa ter um outro fator contra, que não só o vento ou dificuldades com a maré, mas sim o lixo descartado pelo homem nas águas da Baía de Guanabara.

Publicidade
Publicidade

O grande fator, segundo o técnico, é que uma competição tão acirrada quanto a Vela seja decidida por um pedaço de plástico flutuando em meio às águas.

Segundo apurado por diversos setores da mídia, e ressaltada pela BBC durante a reportagem com Torben, quase 50% do esgoto lançado na Baía de Guanabara não passa por qualquer tipo de tratamento. E complementou que são recorrentes os casos de descarte de lixo (plástico, papel, materiais de alumínio e ferro) nas águas que sediarão as competições da Vela Olímpica.

A partir do que foi documentado pela emissora britânica, o tratamento da Baía de Guanabara foi deixada em segundo plano para adiantar a conclusão de projetos que possuíam atrasos, como o Parque Olímpico, por exemplo. Além disso, foi ressaltado que governantes prometeram, antes da realização dos Jogos Rio2016, a redução de 80% do índice de poluição da Baia de Guanabara até a realização das Olimpíadas.

Publicidade

Vale lembrar que a promessa tem mais de cinco anos, e nada fora feito.

A reportagem realizada pela BBC contatou o diretor de comunicações do Comitê Olímpico, Mario Andrada, que alertou que a situação é um grande problema, entretanto, segundo ele, se as competições passassem para outro lugar, as chances de recuperação da Baía de Guanabara se tornariam nulas. Eventos testes realizados ao fim de 2015 e início de 2016 teriam sido considerados um sucesso pelos organizadores, que se mostraram otimistas com a qualidade exibida. #Natureza #Rio2016