Em Pequim, capital da China, como convidado para promover o boxe naquele país, o ex-campeão mundial dos pesos pesados, Mike Tyson, fez críticas bastante severas à proposta de liberar a presença de profissionais nas competições da modalidade, nas Olimpíadas do Rio, que serão realizadas entre os dias 5 a 21 do mês de agosto. Segundo o lutador aposentado, é uma ideia estapafúrdia e, caso o lutador profissional realmente vá para o torneio, deve estar preparado para ser derrotado por um atleta considerado amador.

"É ridículo. Alguns profissionais vão ser batidos por amadores", declarou Tyson.

A proposta de se incluir os profissionais veio por intermédio de C.K.

Publicidade
Publicidade

Wu, presidente da Associação Interacional de Boxe, mas, até o momento, não houve essa liberação por parte do Comitê Organizador da Rio-2016. Paralelamente a isso, vários torneios classificatórios estão sendo realizados ao longo dos diversos países e a tendência é de a modalidade, nos #Jogos do Brasil, continuar sendo disputada única e exclusivamente por amadores.

A história do boxe se confunde com as próprias Olimpíadas. Em 688 a.C., nos 23ºs jogos da Antiguidade, o desporto teve as suas regras definidas pelo então vencedor da modalidade, Onomasto de Esmirna. Já na primeira disputa da Era Moderna (1896, em Atenas) foi alijado de quadro de modalidades, retornando somente em 1904, quando St. Louis, nos Estados Unidos, sediou o evento esportivo. A partir de então, excetuando-se o ano de 1912, em Estocolmo, capital da Suécia, ele se faz presente.

Publicidade

Ao contrário dos profissionais, onde há 12 rounds (tempo que acontece as disputas), os amadores lutam entre si em quatro rounds. Outra diferença é que os profissionais não recebem qualquer tipo de proteção, enquanto os amadores vão ao ringue trajando um capacete para amenizar golpes desferidos na região da cabeça.

O país que domina o boxe na história das Olimpíadas são os Estados Unidos. Ao todo, os norte-americanos conquistaram 108 medalhas nesses anos, sendo 48 de ouro, 23 de prata e 37 de bronze. O Brasil ocupa, no ranking, o 50º lugar com quatro medalhas, uma de prata e três de bronze. #Televisão #Rio2016