No dia 12 de junho de 2016, a seleção brasileira de #Futebol foi eliminada da #Copa América – edição comemorativa do centenário da competição – após perder para o Peru pelo placar de 1 a 0, em um grupo que participavam as seleções do Haiti e Equador, além do Brasil e Peru.

Para falarmos desse novo “7 a 1”, poderíamos citar o técnico fraco, os jogadores mimados e insistir nas ideias de sempre. O fato é que o futebol brasileiro e latino-americano está em decadência e um dos principais reflexos do fracasso do Brasil, atualmente, pode ser visto no time do São Paulo Futebol Clube.

Algo que vem passando de maneira despercebida pelos comentaristas e jornalistas, é o fato do clube paulista, nos últimos anos, ter atingido altas posições no campeonato brasileiro, com campanhas ridículas e instabilidade política.

Publicidade
Publicidade

Há um bom tempo, os principais portais vem denunciando a crise política e financeira na equipe tricolor. Atraso no pagamento, algo raramente visto no clube anos atrás, passou a se tornar manchete pelos diários futebolísticos. Mas, mesmo com esses problemas, com trocas de técnicos – sendo quatro mudanças apenas no ano de 2015 – não afetou muito a equipe, que conseguiu o vice-campeonato em 2014 e um 4º lugar no ano seguinte.

Em 2015, como vimos, o São Paulo terminou a competição na 4ª colocação, além de chegar à semifinal da Copa do Brasil. No entanto, mesmo com a classificação para a Libertadores da América em 2016, a equipe fez uma péssima temporada, sofrendo até uma goleada para um dos seus principais rivais, o Corinthians. O placar foi inesquecível para ambas as torcidas, 6 a 1. Durante a temporada de 2015, o tricolor teve quatro técnicos diferentes: Muricy Ramalho, Osório, Doriva e Milton Cruz, sofreu vexame nos clássicos paulistas e teve inúmeras crises internas.

Publicidade

Como um clube em crise, com pagamentos atrasados, com derrotas e goleadas em clássicos regionais, troca constante de treinadores, conseguiu ficar entre as quatro melhores equipes do Brasil nas duas principais competições nacionais no ano de 2015? Como uma equipe eliminada no campeonato paulista, após sofrer uma goleada de 4 a 1 para uma equipe sem expressão, o Audax, chega às semifinais da Libertadores de 2016, após eliminar o Atlético Mineiro? Até onde essa camisa “entorta varal”? A verdade é que o futebol brasileiro e latino-americano se encontra em uma crise, não necessariamente financeira, mas uma crise geral, ignorada pelas entidades que ainda acreditam que são as maiores seleções do mundo e formadores dos melhores jogadores do planeta.

O São Paulo é apenas o reflexo desta administração. Uma equipe em crise que consegue ficar entre os quatro melhores na Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Libertadores só mostra o quanto o nosso futebol está em decadência. E qual seria a solução para esse problema? Talvez coragem para enfrentar “carolas milenares” que destroem o futebol antes mesmo de nascermos. #PaixãoPorFutebol