Um simples passeio com uns amigos em um fim de semana transformou-se no ponto final de uma vida intensa, promissora e ainda no início. Aos 36 anos, Fernando Lúcio da Costa, o Fernandão, morreu em um acidente de helicóptero quando voltava da praia de Aruanã, no interior de Goiás, há exatos dois anos. O dia 7 de junho de 2014 feriu a alma de todos colorados que, em um piscar de olhos, perderam o seu maior representante. Nesse artigo, veja através de cinco momentos a razão de Fernandão ser o maior jogador da história do Internacional.

1° - GOL MIL EM GRE-NAIS LOGO NA ESTREIA

Fernandão mal tinha chegado em Porto Alegre e já entrava para a história.

Publicidade
Publicidade

Logo no seu primeiro jogo com a camisa do Inter, ele fez o gol mil da história do tradicional clássico Gre-Nal. Ele entrou no segundo tempo da partida do clássico do Beira-Rio, pelo primeiro turno do Brasileirão de 2004, e fez um lindo gol de cabeça. Ajoelhado na comemoração, só ficou sabendo do feito quando o atacante Rafael Sóbis se aproximou e o avisou da marca atingida.

2° - A PRIMEIRA LIBERTADORES DO INTER

O primeiro título internacional da história do clube veio com a assinatura de Fernandão. Não fosse a presença do eterno capitão na equipe, o Inter teria sérias dificuldades em garantir o título da Libertadores de 2006 sobre o valente São Paulo. No jogo final no Beira-Rio, foi de Fernandão o primeiro gol. Relembre:

3° - O TÍTULO MUNDIAL E A GARRA DO CAPITÃO CONTRA O BARCELONA

Fernandão não queria deixar o campo.

Publicidade

Acometido por fortes câimbras na panturrilha, o camisa 9 colorado lutou o quanto foi possível para ajudar o Inter no jogo mais importante da sua história. Foi até o limite e ajudou o clube a desbancar o Barcelona de Ronaldinho Gaúcho e companhia. O título mundial de 2006 foi ilustrado pela garra do grande capitão.

4° - "VAMO VAMO, INTER!!!"

Na volta ao Brasil, com a taça do mundo na mala, Fernandão atacou de animador de torcida. Recepcionado por um Beira-Rio completamente lotado, o elenco colorado foi a campo receber o aplauso dos torcedores. Fernandão foi mais além. Pegou um microfone e ao lado do goleiro Clemer entoou uma das principais músicas da torcida.

5° - CHORO NA DESPEDIDA

Em um momento onde o clube, em campo e fora dele, passava por imensas dificuldades, Fernandão tentou ajudar de outra forma. Em 2012, virou treinador depois de ter sido dirigente e sofreu com um elenco repleto de vaidades e problemas. Não conseguiu apresentar resultados e foi demitido faltando dois jogos para o fim do Brasileirão. Na despedida, chorou.

#Sport Club Internacional