Nesta terça-feira (21) o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que todos os atletas russos deverão passar por avaliações individuais de antidoping, se quiserem competir nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. A decisão foi tomada mesmo com a proibição imposta pela IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo), proclamada na última sexta-feira (17), que impedia toda a delegação de atletismo da Rússia de participar dos Jogos Olímpicos.

A IAAF, no entanto, afirmou que continua desautorizando os russos a competirem sob sua própria bandeira. Ou seja, os competidores daquele país que quiserem participar dos Jogos Olímpicos deverão fazê-lo de forma neutra, sem defender sua nacionalidade.

Publicidade
Publicidade

Casos diferentes, mesma imposição

O presidente do COI, Thomas Bach, informou que as mesmas medidas impostas aos atletas russos se aplicam aos quenianos. Essas ações, porém, foram tomadas em função de problemas diferentes, embora ambos envolvam doping.

No caso do Quênia, as suspeitas de prática de doping são suscitadas por falhas em questões administrativas, além de problemas de financiamento e falta de atenção dos organismos nacionais no controle de dopagem de seus atletas. Já a Rússia é acusada de manipular resultados de exames de seus competidores, que indicariam o uso de substâncias ilegais, através de um programa executado pelo próprio governo daquele país.

Thomas Bach afirmou que, mesmo sendo casos diferentes, serão garantidas aos dois países envolvidos as mesmas condições de igualdade para provarem que seus atletas estão “limpos”.

Publicidade

Para tanto, o COI propôs que todos os atletas, tanto russos quanto quenianos, devam passar por uma “avaliação individual” em seu próprio esporte, a fim de verificar se são de fato confiáveis, o que será atestado através de testes antidoping realizados por agências de nível internacional, e que não pertençam nem à Rússia, nem ao Quênia.

Atrito entre IAAF e Rússia

Após impor a proibição de competir nas Olimpíadas do Rio de Janeiro a toda a equipe de atletismo russa, a IAAF pode acabar enfrentando uma ação legal do país e de seus atletas.

De acordo com o presidente do Comitê Olímpico da Rússia, Alexander Zhukov, a decisão da IAAF foi injusta para a grande maioria dos atletas russos que nunca usaram qualquer tipo de substância ilegal. #Rio2016