Com  o Metlife Stadium, em New, Jersey recebendo 82 mil pessoas, a Seleção do Chile venceu a Argentina nos pênaltis e sagrou-se campeã da #Copa América Centenário nos EUA. O jogo coletivo chileno fez um bom enfrentamento com as individualidades argentinas. Messi, Di Maria, que acabou substituído por ter sentido uma lesão, Iguain e Aguero foram muito bem marcados o tempo todo pelo sistema defensivo do Chile. 

Os chilenos tiveram ainda Marcelo Díaz expulso aos 27 minutos dos primeiro tempo por uma falta cometida em Messi. Díaz já tinha cartão amarelo e no lance acabou recebendo o segundo e consequentemente a expulsão. Mas antes de terminar a primeira etapa as coisas ficaram equilibradas porque o argentino Rojo fez uma falta por trás em Alexis Sánchez, que acabou sendo escolhido o melhor jogador da Copa América Centenária.

Publicidade
Publicidade

O árbitro brasileiro Heber Roberto Lopes apresentou o cartão vermelho direto para o Marco Rojo.

Durante a partida poucas foram as chances de gol. Os goleiros não foram muito exigidos, pois a marcação era implacável em ambas as equipes. A melhor chance da partida veio já na prorrogação e foi protagonizada por Aguero ao cabecear uma bola no ângulo direito do Bravo que, numa grande defesa, espalmou a bola pela linha de fundo. A seleção chilena apostou nos contra-ataques através de seus rápidos e habilidosos atacantes. No entanto nenhuma das equipes balançou as redes e o jogo foi para os pênaltis. 

A geração de Messi e companhia lutava para superar um tabu de 23 anos sem um título. A Seleção Argentina chegou à final contra o Chile com 100% de aproveitamento na Copa América Centenário, enquanto que os chilenos chegaram até este momento da competição depois de ter vencido a Bolívia nos descontos com um pênalti inexistente.

Publicidade

Na Copa América do ano passado a Argentina perdeu nos pênaltis para esta mesma Seleção do Chile por 4x1. Pois quis o destino que o tabu dos 23 anos sem títulos fosse mantido, e a derrota na cobrança de penalidades em outra Copa América para os chilenos se repetisse. Na cobrança dos tiros livres Biglia e Messi erraram para os argentinos, enquanto que os chilenos perderam apenas uma com Vidal. Lionel Messi inclusive isolou a bola chutando quase nas arquibancadas, algo impensável para um jogador que há alguns dias fez um gol de falta quase da intermediária. 

O Chile sagrou-se mais uma vez campeão da Copa América, tornando esta equipe vencedora por duas vezes seguidas da maior competição das Américas, depois de ter esperado 100 anos para vencê-la pela primeira vez. Já a Argentina volta para casa arrasada com o estigma de ser um grupo perdedor, embora individualmente os jogadores sejam multicampeões em seus clubes.

A expressão de abatimento do Messi logo após perder o pênalti era visível.

Publicidade

Certamente sabendo que amanhã todas as críticas irão cair sobre seus ombros, principalmente de parte do seu conterrâneo Maradona, que lhe acusou de não ter personalidade para liderar. Mais do que isto, o ex-craque argentino chegou a dizer que se a seleção argentina não vencesse a Copa América, não deveria voltar para casa. É com toda esta pressão que o Messi e seus companheiros, mas principalmente Lionel por ser o craque do time e capitão, terão que lidar a partir desta segunda-feira.  #Resenha Esportiva #Futebol Internacional