Morreu aos 74 anos, na madrugada deste sábado (04/06), o ex-pugilista Muhammad Ali, após enfrentar uma série de problemas respiratórios.

O lutador estava internado em um hospital da cidade de Phoenix, nos Estados Unidos, desde a última quinta-feira. O horário exato da morte não foi divulgado.

O porta-voz da família fez o anúncio oficial, transmitido pelas emissoras de TV norte-americanas. Bob Gunnell destacou a longa batalha do ex-atleta contra o Mal de Parkinson, travada ao longo de três décadas.

Entre os anos de 2014 e 2015, Ali já havia sido internado por algumas vezes, com quadros de pneumonia e graves infecções urinárias.

Publicidade
Publicidade

Os primeiros sintomas do Parkinson surgiram no final da década de 1970. 

A carreira como boxeador foi encerrada em 1981. Mais de 60 lutas foram realizadas com poucas derrotas e vitórias memoráveis. Batizado com o nome de seu pai, Cassius Clay, alterou sua assinatura após converter-se ao Islamismo, religião que não o afastou do esporte. 

Seu pai era descendente direto de escravos. Já sua mãe, trabalhava como empregada doméstica. Ambos incentivaram o filho para que frequentasse os treinos de boxe promovidos por Joe Martin. À época, Ali tinha apenas 12 anos de idade. 

Tornou-se campeão profissional no ano de 1964, pela Associação Mundial de Boxe (AMB), ao derrotar o pugilista Sonny Liston com um nocaute arrasador, no sétimo round. 

A última aparição pública do boxeador foi no mês de abril deste ano em mais um dos vários eventos destinados à caridade para os quais doava seus direitos de imagem. Ali fazia questão de participar de qualquer causa humanitária relevante, principalmente quando o tema estava relacionado ao combate contra o racismo. 

Não há informações oficiais sobre o velório e o enterro.

Publicidade

As emissoras de TV dos Estados Unidos anunciaram que uma celebração pública será organizada ao longo do dia para que os fãs possam se despedir do campeão

Também será amplamente aguardado um pronunciamento do presidente Barack Obama que foi um dos primeiros a saber da morte do ex-atleta.  #É Manchete!