A segunda é especial para a torcida tricolor carioca. Neste dia 6 de junho, o Fluminense completa nove anos de um título especial: a Copa do Brasil de 2007.

O grande herói desse feito foi Roger, ex-lateral-esquerdo, mas que, na ocasião, jogava como zagueiro. Além dele, o Flu tinha, como principais destaques, naquele elenco, o zagueiro Thiago Silva, os meias Cícero e Carlos Alberto, o atacante Alex Dias e o centroavante Adriano Magrão, autor de gols importantes na reta final da competição.

Antes de levantar a taça, o Flu, no entanto, passou por algumas dificuldades. Depois de eliminar, com grande facilidade, a Adesg, do Acre (vitórias de 2 a 1, em Rio Branco e 6 a 0, no Rio), o time, na época dirigido por Joel Santana, perdeu, em casa, para o América-RN por 1 a 0, e só avançou para a terceira fase porque, na ida, havia vencido de 2 a 1.

Publicidade
Publicidade

Diante disso, o então presidente Roberto Horcades, juntamente com Branco (ídolo da década de 80 e que, na ocasião, era o coordenador de futebol) e Celso Barros (presidente da Unimed, parceira e responsável pelo forte investimento no futebol do clube até 2014) resolveram mudar de treinador.

Tendo Renato Gaúcho no comando, o #Fluminense, também atravessando muitas dificuldades, eliminou, na sequência, Bahia e Atlético-PR. Vieram as semifinais e o adversário era o Brasiliense, uma das sensações do torneio. Após fazer 4 a 2 no Maracanã, o time carioca foi ao Serejão, no Distrito Federal, e soube segurar o 1 a 1, garantindo a sua classificação.

Na decisão, outra surpresa pela frente: o Figueirense, de Santa Catarina. O primeiro jogo foi no Maracanã. Diante de mais de 70 mil pessoas, o Fluminense não atuou bem e ainda viu Henrique, com um chute forte de longe, abrir o marcador para os visitantes.

Publicidade

Perto do fim, Adriano Magrão, escorando bela jogada da direita de Thiago Neves, que era reserva e havia entrado durante o segundo tempo daquela partida, igualou o confronto.

Ao chegar em Florianópolis, capital catarinense, para o duelo decisivo, os jogadores do Tricolor puderam sentir um clima de "oba-oba" da torcida local, pois, até aquela fase, o Figueirense, que era dirigido por Mário Sérgio, estava invicto jogando em casa e só perderiam o título se fossem derrotados. Logo aos três minutos, porém, o destino mudou. Da esquerda, Júnior César cruzou para área e, depois de muita confusão, Adriano Magrão cruzou. Sem marcação, Roger dominou e, de pé direito, tocou no canto esquerdo de Wilson.

A partir daí, o Flu soube segurar a pressão adversária e ainda teve oportunidades para ampliar. Com o apito final de Héber Roberto Lopes, a emoção tomou conta dos jogadores e de Renato Gaúcho. Amparado por Alexandre Mendes, seu auxiliar, o treinador deixou o gramado calado, vendo a festa tanto dos atletas quanto dos vários torcedores que moravam em Santa Catarina ou vieram de outras partes do Brasil para vibrar com mais um título daquele que é, conforme diz o seu hino, "tantas vezes campeão".

Publicidade

No próximo sábado, Roger terá mais uma oportunidade de ser reverenciado pela agremiação das Laranjeiras. Curiosamente, ele é treinador do Grêmio, adversário do Fluminense no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, a partir das 18h30min (de Brasília), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro

Time-base da #Copa do Brasil 2007: Fernando Henrique, Carlinhos, Thiago Silva, Luís Alberto (na final, estava suspenso e foi substituído por Roger) e Júnior César; Fabinho, Arouca, Cícero e Carlos Alberto; Alex Dias e Adriano Magrão.

Também participaram: Ivan (lateral-esquerdo), Davi (meia), Thiago Neves (meia), Soares (atacante), Rafael Moura (atacante).

Treinadores: Vinícius Eutrópio (interino  contra a Adesg, no Acre), Joel Santana (jogo de volta contra a Adesg e segunda fase) e Renato Gaúcho (restante do torneio). #PaixãoPorFutebol