O atacante francês Karim Benzema está mais uma vez envolvido em polêmica. Em entrevista concedida ao jornal Marca, que foi publicada na última quarta-feira (1), o jogador do Real Madrid não poupou críticas ao técnico da Seleção Francesa, Didier Deschamps.

Benzema, que está envolvido em uma acusação de extorsão ao seu companheiro de seleção, Mathieu Valbuena, se diz inocente e declarou que ficou fora da lista de convocados para Eurocopa porque Deschamps cedeu às pressões da parte racista da França.

Perguntado pelo Marca se achava que Didier Deschamps era racista, Benzema declarou: “Não, acho que não. Mas ele cedeu à pressão de uma parte racista da França.

Publicidade
Publicidade

É preciso ressaltar que, na França, o partido extremista chegou ao segundo turno nas últimas eleições. Não sei, portanto, se é uma decisão apenas de Didier, pois eu tenho um bom relacionamento com ele, com o presidente da Federação Francesa e com todos. Eu não tenho problemas com ninguém!”

O partido político ao qual Benzema faz referência é a Frente Nacional, de extrema direita, que teve uma considerável ascensão nos últimos anos e chegou ao segundo turno em diversos distritos nas eleições regionais de 2015.

Apesar da decepção por ter ficado fora da Eurocopa, Benzema afirmou que torcerá pelo sucesso da França, que jogará a Eurocopa em casa, e colocou-se à disposição para jogar na Seleção Francesa após a solução dos seus problemas extracampo.

“Eles inventaram uma regra e disseram que virei 'não selecionável'.

Publicidade

Mas, do ponto de vista esportivo, não entendo o porquê disso tudo e, do ponto de vista judicial, ainda não fui julgado. Quando me considerarem '‘selecionável’', se me quiserem, não tem problema. Gosto de futebol e gosto de jogar com a minha seleção”.

As declarações de Karim Benzema geraram muita controvérsia. O presidente da Federação Francesa de Futebol, Noël Le Graët, fez questão de sair em defesa de Didier Deschamps, dizendo que o treinador, que fez parte do elenco campeão da Copa de 1998 e da Eurocopa de 2000, é um profissional de conduta “irrepreensível”. Le Graët acrescentou que, apesar de gostar de Benzema, o atacante se deixou levar por toda a situação e disse que não quer mais falar sobre essa pequena divergência.

O ex-atacante do Olympique de Marseille e do Manchester United, Eric Cantona, saiu em defesa de Benzema e acusou Didier Deschamps de racismo. Cantona afirmou que tanto o atacante do Real Madrid quanto Ben Arfa, outro que ficou fora da lista de convocados de Deschamps, “pagaram pelas suas origens norte-africanas”, em alusão aos ataque promovidos pelo grupo fundamentalista de origem árabe, Estado Islâmico.

Polêmicas à parte, a Seleção Francesa segue a sua preparação para Eurocopa e enfrenta a Escócia no sábado (4), em amistoso preparatório para a competição. #Euro2016 #Futebol Internacional #Eurocopa 2016