Após a demissão de Dunga e Gilmar Rinaldi da comissão técnica da #Seleção Brasileira, ocorrida nesta terça-feira na sede da CBF, a imprensa já começa a especular nomes para ocupar o lugar dos demitidos. Para o cargo de treinador do grupo brasileiro, Tite é o preferido e quase uma unanimidade. Embora o treinador do Corinthians tenha trabalhado normalmente na tarde de hoje, é de conhecimento público que ele viajou de jatinho para encontrar-se com Marco Polo Del Nero para tratar de sua possível contratação. 

Ao contrário das outras vezes, quando Dunga "balançou", a exemplo do que ocorreu na eliminação na Copa América do ano passado, quando perdeu para o Paraguai, Tite foi sondado pela CBF para assumir o cargo de técnico do selecionado, mas não aceitou. No entanto, boatos dão conta de que agora a situação será diferente.

Publicidade
Publicidade

Neste momento, o técnico corintiano estaria disposto a enfrentar este desafio. Mas, para isso, teria duas exigências. A primeira delas é que Dunga não estivesse mais no cargo, o que já foi resolvido. A outra é que o treinador do Timão possa levar para trabalhar toda a comissão técnica que hoje é formada por seus companheiros no alvinegro paulista. Entre essas pessoas, estariam Edu Gaspar, gerente de futebol do Corinthians, que ocuparia o cargo deixado por Gilmar Rinaldi. 

No entanto, para a função de Gilmar, o próprio presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, já escolheu o ex-lateral da Seleção Brasileira, Leonardo, que trabalhou durante muito tempo como Diretor de Futebol do PSG da França.

Como se não bastasse o fato de Leonardo ter sido escolhido para ocupar um cargo que Tite pleiteava para um dos seus, no ano passado, o ex-lateral concedeu uma entrevista à Revista Época declarando, entre outras coisas, que o futebol brasileiro estava fechado para o mundo e que técnicos como Luxemburgo, Muricy e Tite eram vencedores dentro de um contexto local, e que faltava ao Brasil um treinador atualizado com a realidade mundial. 

Resta saber se a necessidade da CBF de escolher logo um treinador é mais importante, porque precisa definir, nas próximas horas, a relação dos jogadores que irão para as Olimpíadas, ou se o desejo de Tite de  treinar a seleção é maior do que suas convicções quanto à formação de uma comissão técnica de sua inteira confiança.

Publicidade

O fato é que, para este acordo dar certo, uma das partes vai ter que abrir mão de algo.  #Futebol Internacional #PaixãoPorFutebol