Na tarde desta sexta-feira no Rose Bowl, estádio onde o Brasil venceu a Copa do Mundo de 94, depois de um jejum de 24 anos, o técnico Dunga, revelou que as lembranças daquele momento serão eternas. Falou da felicidade de ter sido capitão daquele selecionado campeão mundial e do tesão que sentiu no momento de cobrar o pênalti que garantiu o título. Acrescentou que ao olhar as imagens daquela partida ainda se questiona onde foi buscar forças para aquela cobrança, pois sabia que se errasse a penalidade máxima "não entraria mais no Brasil" depois das críticas que sofreu após a derrota na Copa do Mundo de 90. 

Dunga disse que depois da Copa de 94 lhe perguntaram sobre as críticas que havia sofrido durante os quatro anos anteriores quando lhe "detonaram" e falaram mal a seu respeito.

Publicidade
Publicidade

O técnico da #Seleção Brasileira disse que sobre isto respondeu apenas que foram "apenas quatro anos" de sofrimento, mas a sua imagem levantando a taça é algo que vai ficar para o resto da vida. "Ela vai ficar ali, e quem vai sofrer são os outros agora", finalizou Dunga. 

Estas manifestações e a relação tensa com a imprensa desde 90 mostram o quanto aquelas críticas deixaram marcas no técnico da Seleção Brasileira que foi responsabilizado por alguns setores da imprensa esportiva como símbolo do #Futebol ruim apresentado pelo selecionado canarinho. Mesmo a conquista da Copa de 94 não serviu para amenizar as mágoas do atual técnico da Seleção Brasileira, que invariavelmente nas suas entrevistas coletivas sempre encontra uma forma de dar uma "estocada" em algum repórter ou em algum veículo por conta deste episódio passado que ao que tudo indica, ficará marcado para sempre na memória do técnico da Seleção Brasileira de futebol. 

Mas na entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira, Dunga também falou a respeito do Equador, adversário brasileiro na estreia da Copa América Centenária nos EUA.

Publicidade

O técnico do selecionado brasileiro elogiou os equatorianos, salientando que estão num momento técnico melhor do que os brasileiros e possuem um melhor entrosamento, enquanto que a equipe brasileira está em formação. Brasil e Equador se enfrentam neste sábado (04) às 23:00, horário de Brasília.  #PaixãoPorFutebol