Um empate em casa na maioria das vezes não é bem visto, porém, esse não foi o caso no dia de ontem. Apesar do Sport ter conseguido somente um empate na Ilha do Retiro, o comandante Oswaldo de Oliveira se agradou com o que viu. A razão de tal satisfação se da devido a situação em que o time se via na segunda etapa do jogo contra o Atlético-MG.

O Sport, que vinha perdendo por 4 a 2, entrou com tudo no segundo tempo e sem se deixar abater conseguiu igualar o placar, e é por isso que Oswaldo não limitou-se a enxergar somente os pontos negativos da equipe.

Em entrevista, o técnico do Sport, Oswaldo de Oliveira, disse que o poder de reação da equipe o surpreendeu, para ele, o fato da equipe não ter se entregado e por ter reagido de forma intensa e com muita força faz com que a comissão técnica e a torcida confie ainda mais no time, visto que esse deu demonstração de seu potencial.

Publicidade
Publicidade

O que foi criticado por Oswaldo de Oliveira foi a defesa, principalmente na atuação vista no primeiro tempo do jogo.

Oswaldo reconheceu que a marcação falhou, e falhou muito no primeiro tempo. Para ele, os principais erros aconteceram no lado esquerdo, nesse setor o adversário encontrou o meio de invadir o campo pernambucano para fazer seu ataque. O comandante disse que somente no intervalo conseguiu mostrar essa deficiência da equipe e superar a fragilidade que permitiu que os gols fossem tomados. Outro ponto levantado pelo técnico como algo problemático no jogo relaciona-se com os erros de arbitragem, o segundo pênalti marcado contra o Sport num lance que envolveu Serginho e Robinho deu o que falar.

Oswaldo de Oliveira confessou que preferia não comentar sobre a arbitragem, mas se viu obrigado, visto que os erros interferiram de forma direta no placar.

Publicidade

Para o técnico o primeiro pênalti foi interpretativo, reconheceu que Durval atingiu Robinho, mas não houve a intenção, porém como o atleta caiu, o árbitro quis interpretar como falta, e falta dentro da pequena área é pênalti.

Mas o segundo pênalti marcado é injustificável no entender do técnico do Leão pernambucano, pois Serginho nem tinha tocado em Robinho, e esse, usando de astucia, veio conduzir o árbitro a marcar um outro pênalti. Maior indignação do técnico há quando o mesmo aponta que seu jogador, Edmilson, sofreu a mesma coisa que Robinho no primeiro pênalti e o árbitro não marcou. Tais incoerências e erros irritaram a torcida e o técnico que encerrou a entrevista pedindo que a arbitragem comece a ficar mais atenta e que sejam mais coerentes. #Futebol