O #Palmeiras tem o ataque mais positivo do Campeonato Nacional. Com 11 gols, o time de Cuca ainda ostenta a liderança com 22 pontos. Com jogadores rápidos no ataque e que produzem um bom toque de bola, caiu a necessidade de usar um centroavante. 

Com Alecsandro suspenso pelo doping, o clube repatriou Leandro Pereira. O atleta estava no Club Brugge, da Bélgica, e chega provavelmente para ser reserva. O estilo dele não se encaixa atualmente no esquema tático de Cuca, mas pode ser peça-chave quando acontecer alguma lesão ou qualquer outro problema. Além disso vem aí a Copa do Brasil. Atual campeão, o Verdão já entra na fase de oitavas de final e deve vir forte pelo bicampeonato. 

Barrios não deve continuar

Lucas Barrios custa atualmente R$ 1 milhão para os cofres da Crefisa, patrocinadora do Palmeiras.

Publicidade
Publicidade

Recuperado plenamente de uma lesão na panturrilha, o atacante não foi relacionado para enfrentar o Cruzeiro neste sábado. Segundo Cuca, Barrios terá que lutar para ter seu espaço novamente. 

Nos treinos, o paraguaio mostra empenho, mas sente dificuldades. Róger Guedes entrou muito bem no time e dificilmente deverá perder titularidade. Essa 'luta' imposta por Cuca talvez não seja o pensamento do atleta, que deve ser negociado. O Palmeiras não comenta negociações em andamento, mas Barrios está de saída. 

Mouche na Europa

Pablo Mouche já está treinando na Academia de #Futebol do Palmeiras após passagem pelo Lanús, da Argentina. Cuca deixou claro para Alexandre Mattos, diretor executivo, que não deseja contar com os serviços do jogador. Sabendo disso, Mouche procura algum clube para atuar. 

O América-MG, clube da Série A do Nacional, procurou a diretoria do clube paulista para negociar.

Publicidade

O argentino, por sua vez, não gostou da ideia de atuar no futebol mineiro e em um clube que provavelmente não deverá brigar pelas primeiras posições. O Estrela Vermelha, da Sérvia, pode ser o provável destino de Mouche. 

Caso seja vendido em definitivo, o lucro da venda fica para o Palmeiras, mas os R$ 11 milhões deverão retornar para os bolsos do presidente Paulo Nobre, responsável pela contratação em 2014.  #Campeonato Brasileiro