O Brasil inteiro acordou cedo naquele 30 de junho de 2002 para ver mais uma estrela se formar na camisa da seleção. Oito anos depois do título nos Estados Unidos, nos pênaltis, sobre a Itália, o time comandado por Felipão precisou só de 90 minutos para aplicar 2x0 na Alemanha e comemorar a taça do pentacampeonato mundial. Antes disso, o Brasil conquistou o mundo em 1958, 1962, 1970 e 1994.

Naquela final diante da Alemanha, Ronaldo Fenômeno chamou a responsabilidade para si. Depois de ter sido muito questionado na preparação para o Mundial - até pela grave lesão que teve no joelho em 2000 jogando pela Inter de Milão. Até sua participação na Copa da Ásia não era certa até meses antes.

Publicidade
Publicidade

Mas o eterno camisa 9 não somente foi à Copa como fez 8 gols e ajudou o Brasil a saborear mais um título mundial.

No primeiro tempo da final, poucas emoções puderam ser observadas pelos torcedores. Já na etapa final, o Brasil demonstrou toda a sua força ofensiva e construiu a vitória por meio dos pés de Ronaldo. No primeiro gol, Rivaldo aproveitou bola roubada de Ronaldo e bateu forte de perna esquerda. No entanto, a bola parecia fácil para o goleiro Oliver Kahn, bastante badalado naquele torneio. Só que o goleirão soltou a bola simples e ela se ofereceu para Ronaldo abrir o marcador, aos 22 minutos do segundo tempo.

A partir do primeiro gol, o Brasil de Felipão teve tranquilidade para administrar o placar e não "sofrer" na partida. Aos 34 minutos, Ronaldo voltou a ser decisivo: ele aproveitou um corta-luz perfeito de Rivaldo, dominou com calma e tocou rasteiro no canto de Kahn, 2x0 Brasil.

Publicidade

Os minutos restantes não ofereceram qualquer tipo de perigo ao Brasil, que só esperou o juiz apitar o final para correr para o abraço. O quinto abraço.

Mas 12 anos depois, a história foi outra. Em plena semifinal da Copa do Mundo no Brasil, os alemães fizeram.... bom, melhor deixar para lá aquele jogo.

Veja no vídeo abaixo os dois gols de Ronaldo Fenômeno na final da Copa de 2002 sobre a Alemanha. Nesta quinta, a partida completa 14 anos.

#Futebol #Seleção Brasileira