Bruno de Carvalho recusou o maior negócio da história do futebol português e um dos maiores da história do futebol mundial: 80 milhões por Slimani. Tal como informa o jornal “Record”, a proposta está mais que provada pelo clube leonino, depois do seu presidente ter surpreendido todos os jornalistas, quando garantiu que recusou 80 milhões por um jogador. O Sporting, no mês de janeiro, conseguiu chegar a essa valor por Slimani graças a investidores asiáticos e aos contatos de Luís Figo, que permitiram que os investidores rapidamente subissem 30 milhões, valor da cláusula, para uns “loucos” 80 milhões de euros.

Depois de muitos rumores que garantiam que o Sporting estaria sem grande poder negocial para fazer grandes contratações, Bruno de Carvalho surpreendeu os seus sócios ao garantir que, se o clube não tivesse liberdade financeira, nunca teria recusado uma proposta de 80 milhões por um dos seus melhores jogadores.

Publicidade
Publicidade

Mas o que terá travado então de Bruno de Carvalho ter recusado fazer história no futebol português? Como informa o jornal “Record”, o presidente Leonino não quis abdicar, em janeiro, do seu melhor jogador, sabendo perfeitamente que, no verão, vários clubes ingleses estariam interessados na contratação do atacante, ainda que por um valor mais reduzido. Além da pouca vontade do clube em vender Slimani, o argelino também não demonstrou grande vontade de rumar para um clube da Liga chinesa, onde, tal como aconteceu com Jackson Martínez e Ramires, rapidamente perderia a sua visibilidade internacional.

Apesar da decisão arriscada de Bruno de Carvalho, que está tendo, agora, muita dificuldade em conseguir vender Slimani e João Mário, a verdade é que muitos sportinguistas elogiam a coragem do seu presidente ao ter conseguido recusar uma proposta tão boa, mas que poderia prejudicar a performance do time na temporada passada.

Publicidade

Nas redes sociais, os portugueses nem conseguem acreditar que Bruno de Carvalho recusou uma proposta de 80 milhões que chegou às suas mãos, garantindo que, talvez agora, o presidente possa estar arrependido do que fez. #Negócios #Futebol Internacional #PaixãoPorFutebol