O jornal espanhol Mundo Deportivo, na sua capa de ontem (19), informou que a renovação de contrato do jogador #Neymar Jr., que já esteve bem encaminhada para ser assinada em julho, atualmente, está 50% definida. E esta mudança de cenário deve-se às investidas do PSG da França que teria oferecido, ao craque da Seleção Brasileira, salário de 50 milhões de euros por temporada, livre de impostos.

Por outro lado, junto ao Barcelona, existe uma corrente que considera interessante negociar Neymar, pois sua agenda social intensa e o seu desempenho discutível, mostrado nas últimas partidas do clube espanhol, justificariam esta decisão.

Publicidade
Publicidade

No entanto,  a repercussão impopular que a saída do atacante da Seleção Brasileira teria junto aos torcedores do clube catalão, faz com que revejam esta posição. 

O jornal espanhol informou ainda que representantes do Real Madrid, Manchester United e PSG estão no Brasil visando estreitar conversas com o jogador do Barça  e seus representantes. Porém, a proposta mais vantajosa até o momento é do clube francês. De acordo com o Jornal Mundo Deportivo, a renovação do contrato de Neymar com o Barcelona, tanto está em compasso de espera que o jogador teria iniciado a construção de uma casa nas proximidades de Messi e Suárez, mas, nos últimos dias, esta construção foi interrompida. 

A contratação de Neymar pelo PSG implicaria um custo aproximado de 500 milhões de euros entre multa rescisória e salários da atacante do clube espanhol.

Publicidade

Dinheiro não seria problema para a equipe francesa, pertencente a um xeque árabe que já mostrou não ter pena de gastar, diante das contratações milionárias que realizou para os franceses.

O entrave estaria por conta do "fair play" financeiro implantado pela UEFA, em 2015. De acordo com estas regras, nenhum clube pode gastar mais do que 60 milhões de euros além de sua arrecadação. O PSG, inclusive, já foi punido em 2014, justamente por desrespeitar estas determinações. Uma possível contratação do Neymar ultrapassaria, em muito, os limites do fair play financeiro.  #FC Barcelona #PaixãoPorFutebol