Os Jogos Olímpicos estão chegando e, além da beleza e da emoção da competição, estamos na expectativa dos legados que ficarão. Legados são as melhorias feitas na cidade em função das obras executadas para adequação das exigências feitas pelo COI.

Em sua candidatura, o Rio previu um gasto de R$ 29 bilhões. Hoje já chegam perto dos R$ 38 bilhões.

Vamos ver alguns desses legados

Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

Ligará o Aeroporto Santos Dumont, Barcas, Central do Brasil e a Rodoviária Novo Rio. A locomoção entre esses pontos é muito difícil. A distância da Rodoviária e das Barcas de outros transportes de massa, como o trem e o Metrô, será resolvida.

Publicidade
Publicidade

Funcionará 24 horas por dia, de domingo a domingo e atenderá 300 mil pessoas por dia. Terá 32 estações com um percurso de 28km.

Linha 4 do Metrô Rio

Legado de maior valor, a linha 4 do metrô irá ligar Ipanema à Barra da Tijuca. Com 16km de percurso e 6 estações, melhorará consideravelmente o trânsito no trecho da Zona Sul até o Largo da Barra. Atualmente, pode-se levar até duas horas neste trajeto.

Ampliação do Elevado do Joá

Mais uma obra para melhorar o trânsito caótico entre Zona Sul e Barra da Tijuca. Na ampliação, estão incluídas duas pistas, e dois túneis que terão 5km e serão paralelos aos que já existem.

Infelizmente, a ciclovia recém-inaugurada, paralela à pista já existente, teve um trecho de aproximadamente 50m arrancado pelas fortes ondas. Na ocasião, duas pessoas morreram.

Publicidade

BRT Transolímpica e Transoeste

A Transolímpica transportará 70 mil pessoas por dia e diminuirá o tempo de viagem da Barra da Tijuca até Deodoro, hoje, muito longa, melhorando o trânsito na cidade. Terá um percurso de 26km, sendo 13km de Via Expressa, com 17 estações.

A Transoeste, que já funciona desde 2012, será ampliada até a Linha 4 do Metrô; 230 mil pessoas por dia serão transportadas. Depois de ampliada, contará com 59km e 66 estações. Se conectará com a Transcarioca, fazendo a ligação com a Supervia em Deodoro.

Porto Maravilha

A Região Portuária, que estava em completo estado de abandono, há muito precisava ser remodelada. Começando com a derrubada do Elevado da Perimetral, construção de 4 túneis e um total de 70km de ruas e praças revitalizadas. O Museu do Amanhã já está em funcionamento. Foram 5 milhões de m² recuperados.

Obras contra enchentes

Para acabar com os transtornos que são as enchentes da Praça da Bandeira, 5 reservatórios foram construídos na região para conter as águas.

Publicidade

Praças foram construídas em cima dos mesmos.

Baía Viva

Muito criticada, a Baía de Guanabara tornou-se o grande problema para a Rio2016. A prefeitura prometeu tratar 80% do esgoto jogado na Baía, mas não cumprirá.  A solução será colocar eco barreiras flutuantes e eco barcos para tentar controlar o lixo.  

Urbanização do Engenhão e Deodoro

O entorno do Estádio do Engenhão e do Complexo de Deodoro serão revitalizados, ganhando uma praça. Os antigos galpões de trens serão restaurados, construção de ciclovia, melhoria nas ruas e projeto “asfalto liso”.

Complexo Esportivo de Deodoro

Tendo sediado o Pan 2007 e os Jogos Mundiais Militares 2011, o Complexo tinha boa parte das instalações preparadas. Ficara como legado o Parque Radical, que contará com pista de BMX e circuito de canoagem slalom.

Arena do Futuro

Como legado, após os jogos dará lugar a 4 escolas municipais, com 2 andares e 16 salas de aulas para 500 alunos cada uma.

Estádio Aquático

Seu legado será o centro administrativo do Centro Olímpico de Treinamento para atletas de alto rendimento. As duas piscinas, as arquibancadas e a cobertura metálica, serão desmontadas e remontadas em comunidades para uso gratuito.

Campo de Golfe

Localizado na Reserva de Marapendi, Barra da Tijuca. O MP entrou com ações contra sua construção argumentando prejuízos ao meio ambiente, para compensar, a prefeitura construiu ao seu lado o Parque Nelson Mandela do mesmo tamanho da área usada no campo de golfe de 1,6 milhão de metros quadrados. #Rio2016